Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Tempestades matam mais de 50 nas Filipinas e Malásia

Período chuvoso na região está sendo muito rigoroso e enchentes deixam centenas de milhares de pessoas desabrigadas em ambos os países

Por Da Redação 30 dez 2014, 09h39

Ao menos 30 pessoas morreram pelas inundações provocadas pela tempestade tropical que atinge há dois dias as Filipinas, segundo o último balanço oficial divulgado nesta terça-feira, e pelos menos outras 21 pessoas perderam a vida na Malásia, país que sofre as piores enchentes em mais de uma década com milhares de desabrigados. Segundo as autoridades, há regiões nas Filipinas e na Malásia aonde a água chega ao pescoço de seus habitantes.

Verdadeiras trombas d’água caíram sobre zonas pesqueiras e turísticas das províncias de Bohol e Cebu nesta terça-feira, onde 1.700 pessoas foram evacuadas, e podem afetar a ilha turística de Negros. Uma menina de oito anos morreu afogada na cidade costeira de Ronda, e outras seis pessoas estão desaparecidas. Além disso, dois adolescentes morreram eletrocutados quando estavam em um curso de água em Loon, na província de Bohol, e na de Leyte outras cinco pessoas morreram quando sua casa foi soterrada em um deslizamento de terra.

Leia também

Tempestade Hagupit causa 27 mortes nas Filipinas

Indonésia encontra destroços do avião desaparecido

Hagupit

supertufão Haiyan

Continua após a publicidade

Malásia – As piores enchentes da Malásia em uma década obrigaram quase 250.000 pessoas a deixarem as suas casas, disseram autoridades nesta terça, enquanto o governo continua sendo criticado por ter dado uma resposta lenta à tragédia. O Conselho de Segurança Nacional afirmou que os níveis “excepcionalmente altos” das águas haviam desconectados os agentes de socorro dos centros de ajuda.

Saiba mais:

Entenda como se formam e se classificam os ciclones

A maior parte das críticas é dirigida ao primeiro-ministro Najib Razak, por causa da sua ausência durante o desastre, depois que ele foi fotografado jogando golfe com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no Havaí. O integrante da oposição Tony Pua denunciou a relutância do governo em declarar um estado de emergência e a “completa falta de urgência” em convocar uma reunião. “Temos um governo sem líder e sem resposta urgente, coesa e ativa ao caos”, declarou Pua em comunicado.

O nordeste da Malásia e o sul da Tailândia foram atingidos por enchentes durante a monção anual, mas neste ano as chuvas foram particularmente intensas. O leste da Malásia abriga muitos campos de arroz, mas as autoridades não forneceram uma estimativa inicial dos danos.

(Com agências EFE e Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade