Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Subsecretário argentino morre durante Cúpula do Mercosul

Corpo de Iván Heyen foi encontrado enforcado em hotel da capital Montevidéu; economista havia sido nomeado há 2 semanas para pasta de Comércio Exterior

O subsecretário de Comércio Exterior da Argentina, Iván Heyn, foi encontrado morto nesta terça-feira em Montevidéu, no Uruguai, onde estava para participar da Cúpula do Mercosul. O corpo de Heyn foi achado enforcado no hotel Radisson, onde ele estava hospedado na capital uruguaia. Heyen tinha 34 anos e era economista do grupo La Cámpora, ligado ao kirchnerismo.

Leia também:

Leia também: Cúpula do Mercosul elege combate à crise como objetivo

Segundo o jornal argentino La Nácion, o corpo de Heyen foi achado na tarde desta terça, após sua ausência ter sido notada pela manhã no edifício onde ocorre a reunião dos chefes de estado do bloco regional. A polícia uruguaia recebeu um chamado às 15h25 (horário de Brasília), após funcionários do hotel terem ido ao partamento de Heyen, no 10º andar, e encontrado a porta fechada por dentro.

“Como ele não respondia, pediram na recepção do hotel que abrissem a porta do apartamento e o acharam enforcado”, disse uma fonte da Presidência da Argentina ao diário Clarín. A mesma fonte afirmou que o economista se suicidou. A investigação do caso está a cargo do comissário de polícia Gustavo Porro.

A presidente Cristina Kirchner precisou de atendimento médico após ser informada da notícia, de acordo com a organização da Cúpula do Mercosul. Cristina estava reunida com os demais presidentes do bloco e pediu para sair da reunião pois se sentia “indisposta”.

Heyn foi nomeado subsecretário de Comércio Exterior há menos de duas semanas. A pasta foi criada por Cristina Kirchner após assumir seu segundo mandato como presidente e tem como titular a economista Beatriz Paglieri.

(Com agência EFE)