Clique e assine com até 92% de desconto

Soldado americano assume culpa por assassinato de civil no Afeganistão

Por Romeo Gacad 6 ago 2011, 10h29

Um integrante de uma unidade do Exército americano se declarou culpado, na sexta-feira em uma corte militar, de uma acusação de homicídio culposo de um civil afegão sob custódia dos Estados Unidos em maio de 2010 e foi condenado a três anos de prisão.

Adam Winfield, 23, de Coral Gables, Flórida, foi acusado de homicídio premeditado e conspiração para assassinar, no caso da morte de três civis afegãos na província de Kandahar. Ele é um dos cinco soldados acusados de terem matados os civis por diversão e de terem violado a cena do crime, para fazer supor que as vítimas teriam atacado os soldados.

Winfield é membro de uma brigada conhecida como Stryker Brigade, baseada perto de Seattle. Outro soldado da unidade, Jeremy Morlock, de Wasilla, Alasca, foi condenado em março a 24 anos de prisão. Sete outros integrantes foram acusados de terem acobertado o crime.

Winfield também disse ser culpado de uma acusação de consumo ilegal de haxixe. Ele assumiu a culpa pela acusação reduzida de homicídio culposo em troca de depor contra outros soldados acusados da matança.

Ao ser interrogado pelo juiz, o coronel David Conn, Winfield disse que tinha noção de que estava cometendo um crime, e que falhou por não tê-lo evitado. “Eu tinha como evitar que isso acontecesse. Falhei porque tive medo.”

O soldado disse que temeu uma represália de seu superior, o sargento Calvin Gibbs, suposto cabeça do grupo, que teria ameaçado matá-lo caso o crime fosse descoberto.

Continua após a publicidade
Publicidade