Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Síria: mais de 2.900 mortos desde o início da repressão

Por - - 6 out 2011, 10h27

Mais de 2.900 pessoas morreram desde o início da repressão na Síria, informou nesta quinta-feira o Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos (Acnur).

“Segundo a lista detalhada dos nomes das pessoas que temos, o número total de pessoas mortas desde o início das manifestações na Síria é superior a 2.900”, afirmou o porta-voz do Acnur, Rupert Colville.

Mas o porta-voz afirmou que o número pode aumentar, já que o número de pessoas desaparecidas “é muito maior”.

Mas antes de declarar que estas pessoas morreram na violenta repressão contra os manifestantes, a ONU deve realizar verificações, explicou Colville.

Publicidade

Este anúncio aconteceu antes do Conselho de Direitos Humanos da ONU examinar na sexta-feira a situação dos direitos fundamentais na Síria em um Exame Periódico Universal (EPU), um procedimento ao qual todos os membros das Nações Unidas devem ser submetidos.

A comissão de investigação internacional independente responsável por investigar as violações dos direitos humanos na Síria, com mandato concedido pelo Conselho de Direitos Humanos em 23 de agosto, continua aguardando a autorização as autoridades sírias para entrar no país.

Publicidade