Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Síria derruba avião turco e aumenta a tensão na fronteira

Artilharia abateu o caça após uma suposta invasão de espaço aéreo. Turquia declarou que tomará as 'atitudes necessárias' após o incidente ser esclarecido

Por Da Redação
23 jun 2012, 02h09

A Síria admitiu ter derrubado um avião militar turco nesta sexta-feira após o caça F-4 ter supostamente invadido o seu espaço aéreo. Um comunicado da agência estatal de notícias informa que por volta do meio-dia de sexta, uma aeronave não identificada entrou na Síria em grande velocidade e baixa altitude, e foi abatida pela artilharia antiaérea do país. Segundo a nota, o caça pegou fogo e caiu no Mar Meditarrâneo, a dez quilômetros da costa do vilarejo de Om al-Tuyor.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram milhares de pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

A confirmação acontece horas depois do premiê turco Recep Tayyip Erdogan ter anunciado o desaparecimento de um caça com dois tripulantes perto da fronteira com a Síria. Após uma reunião de emergência com autoridades militares, Erdogan concluiu que a aeronave havia sido abatida pelos sírios. O premiê não deu detalhes sobre a missão que o F-4 realizava no local e evitou fazer ameaças ao governo de Damasco, deixando claro que as marinhas turca e síria trabalham em cooperação na busca pelos pilotos desaparecidos.

Continua após a publicidade

Apesar do tom comedido do pronunciamento, no entanto, a Turquia, integrante da Otan, não descartou uma resposta mais energética ao ataque. “Quando o incidente estiver plenamente esclarecido, tomaremos todas as atitudes necessárias com determinação”, declarou o premiê.

Leia mais:

Agentes da CIA fornecem armas à oposição síria, diz jornal

Continua após a publicidade

Síria precisa de ajuda humanitária para 1,5 milhão de civis

Revolta contra Assad já matou mais de 15.000 pessoas

Tensão na fronteira – As relações diplomáticas entre os dois países vizinhos vêm se deteriorando nos últimos meses, com o aumento da repressão da ditadura de Bashar Assad ao movimento popular que pede a sua saída. Erdogan já pediu diversas vezes que o presidente sírio deixe o poder e recentemente expulsou os diplomatas sírios do país. Desde o início do conflito, a Turquia recebeu mais de 30.000 refugiados sírios e abriga diversos grupos de oposição ao regime de Assad.

Continua após a publicidade

(Com agência France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.