Clique e assine com 88% de desconto

Secretária da Unasul diz que objetivo de seu sucessor é a integração energética

Por Stan Honda - 10 jun 2012, 18h39

A secretária-geral da União de Nações Sul-americanas (Unasul), a colombiana María Emma Mejía, afirmou neste domingo que a integração energética será o grande objetivo de seu sucessor, o ex-chanceler venezuelano Alí Rodríguez, que a substituirá a partir de segunda-feira.

Pela experiência de Rodríguez “em recursos naturais, e por ser um campo estratégico para Unasul (…) É preciso começar a pensar na gestão desses recursos que nos transformam em potência e onde há um grande ativo para o futuro sul-americano”, disse a ex-chanceler colombiana à revista Semana.

Mejía entregará na segunda-feira a secretaria geral da Unasul a Rodríguez durante um conselho extraordinário de chanceleres em Bogotá, do qual também participará o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, na presidência temporária do organismo.

Rodríguez foi chanceler da Venezuela, ministro das Finanças e de Energia Elétrica. Também presidiu a estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) e ocupou a secretaria geral da Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Publicidade

“Acredito que Alí Rodríguez tem toda a experiência e credibilidade para falar do tema na região do mundo com maior acumulação de recursos naturais, hídricos e energéticos”, disse Mejía em outra entrevista ao jornal El Tiempo.

Rodríguez foi também um destacado líder da esquerda histórica venezuelana e participou de grupos guerrilheiros durante as décadas dos 60 e 70.

Mejía e Rodríguez forem eleitos em 2011 para ocupar de maneira sucessiva, cada um por um ano, a secretaria geral da Unasul depois da morte, em outubro de 2010, de seu primeiro titular, o ex-presidente argentino Néstor Kirchner.

A ex-chanceler colombiana (1996-1998) adiantou que, a partir de terça-feira, voltará a colaborar com a fundação Pies Descalzos da cantora Shakira – que trabalha pela educação infantil – na Colômbia, Haiti e nos Estados Unidos.

Publicidade

“Também continuarei apoiando o tema internacional, já que a gente fica contagiado pelo espírito da integração regional”, disse à Semana.

A Unasul é um organismo político formado por Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Uruguai e Venezuela.

Publicidade