Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Schettino disse que não queria ter sido capitão do Titanic

Comandante elogiou esforços de colega em prol da segurança dos passageiros

Francesco Schettino, o capitão do navio Costa Concordia, que naufragou na sexta-feira, declarou em 2010 ao jornal tcheco Dnes que não gostaria de ter estado no lugar do comandante do Titanic, e elogiou os esforços do colega em prol da segurança dos passageiros. Um telefonema gravado entre a capitania dos portos e o comandante do Costa Concordia revela que Schettino se negou a voltar ao navio para liderar a evacuação dos passageiros e fugiu.

VEJA na História: A tragédia do Titanic

Entenda o caso

  1. • O navio Costa Concordia viajava com 4.234 pessoas quando bateu em uma rocha junto à ilha italiana de Giglio, por volta das 21h30 do dia 13 de janeiro (hora local).
  2. • A colisão abriu um grande buraco no casco do navio, que começou a encher de água. O comandante teria tentado se aproxima da ilha, mas a embarcação encalhou em um banco de areia e virou.
  3. • Seis mortos foram confirmados até o momento; ainda há 29 desaparecidos.
  4. • Os trabalhos de buscas são coordenados com a tarefa de retirar as 2.400 toneladas de combustível do navio, sob o risco de contamição da área do naufrágio.

“Eu não gostaria de estar no lugar do capitão do Titanic, ter que navegar num oceano de icebergs”, declarou Schettino na entrevista de dezembro de 2010 que o jornal tcheco reproduziu na segunda-feira em seu site. “Mas acho que, graças à preparação, você pode lidar com qualquer situação e lidar com problemas em potencial”, acrescentou o capitão. “A segurança dos passageiros é fundamental”, enfatizou na ocasião. Porém, quando chegou a sua vez de colocar a segurança dos passageiros em primeiro lugar, o capitão sumiu e não voltou mais ao navio.

Durante a madrugada, 01h46 (local), quando centenas de pessoas ainda permaneciam no navio, um oficial da capitania ordenou ao capitão Schettino que voltasse ao Costa Corcordia. “Agora vá até a proa, suba pela escada de socorro e coordene a evacuação. Você precisa nos dizer quanta gente ainda está lá, se há crianças, mulheres, passageiros, o número exato de cada categoria”, disse o oficial.

“O que você está fazendo? Abandonou o socorro?”, pergunta o oficial. “Capitão, é uma ordem, eu estou no comando agora e você, que declarou abandono do navio, precisa ir até a proa, voltar a bordo e coordenar” a evacuação.

O oficial da capitania pergunta se “há mortos” e Schettino responde: “quantos?”. O oficial se irrita e emenda: “É você que deve me dizer se há mortos. O que está fazendo? Quer ir para casa?”. “Agora você volta lá e nos diz o que podemos fazer, quantas pessoas estão lá, quais são suas necessidades”, ordena o oficial da capitania. Segundo testemunhas, o capitão Schettino já estava em terra antes da meia-noite, provavelmente por volta das 23h40 (local).

Ouça, abaixo, o diálogo que comprova a fuga do comandante do Concordia:

(Com agência France-Presse)