Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Rússia terá feriado de onze dias para conter surto recorde de Covid-19

Todos serviços considerados não essenciais ficarão fechados em todo o país; Moscou também decretou lockdown parcial

Por Julia Braun Atualizado em 28 out 2021, 09h36 - Publicado em 28 out 2021, 09h13

A Rússia vive uma momento difícil da pandemia, com um recorde de novos casos de Covid-19. Para tentar conter a propagação do vírus, o governo de Vladimir Putin decretou um feriado de onze dias em todo o país, com folga remunerada para os trabalhadores. A capital Moscou também inicia nesta sexta-feira, 29, um lockdown parcial.

Restaurantes, salões de beleza, lojas de roupas, academias e outros serviços considerados não essenciais ficarão fechados em todo o país e apenas farmácias, supermercados e lojas que vendem itens básicos poderão abrir no período. O feriado começa nesta sexta-feira, 28, e vai até 7 de novembro.

O prefeito da capital russa, Sergei Sobyanin, decretou uma medida semelhante a partir desta quinta. Com hospitais lotados, Moscou também pediu a idosos que fiquem em casa pelos próximos quatro meses.

Nesta quinta-feira, 28, a Rússia registrou 40.096 novos casos de infecção pelo novo coronavírus e 1.519 mortes, o que representa recordes em ambos os indicadores desde o início da pandemia. Este é o terceiro dia consecutivo que o país supera o maior número diário de vítimas e o décimo que se fica acima da marca de 1.000.

Moscou voltou a ser a cidade mais afetada do país em óbitos provocados pela doença, com 95, enquanto São Petersburgo, a segunda maior cidade do país, teve 70.

O governo atribui a piora recente da situação no território russo à propagação da variante delta e às baixas taxas de vacinação, já que apenas 32,2% da população completaram o esquema de vacinação.

Continua após a publicidade

Publicidade