Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Rússia reforçará forças na fronteira ocidental para fazer frente à Otan

'Contramedidas adequadas': Moscou vai formar doze novas unidades do exército em seu distrito militar ocidental

Por Da Redação Atualizado em 20 Maio 2022, 09h48 - Publicado em 20 Maio 2022, 09h13

O ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, disse nesta sexta-feira, 20, que as candidaturas da Finlândia e da Suécia à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) vão aumentar as ameaças militares perto das fronteiras ocidentais da Rússia e que está tomando “contramedidas adequadas”.

Em um discurso, Shoigu também disse que os Estados Unidos intensificaram os voos estratégicos de bombardeiros nos últimos anos, enviaram navios de guerra para o Mar Báltico e aumentaram os exercícios de treinamento na região com seus parceiros da Otan.

Em entrevista à agência de notícias russa Interfax, Shoigu afirmou que a adesão da Suécia e da Finlândia à aliança militar levou a um aumento nas ameaças militares perto da fronteira. Ele também foi citado pela agência de notícias estatal Ria, dizendo que Moscou responderia a essas ameaças formando doze novas unidades em seu distrito militar ocidental.

“A tensão continua a crescer na zona de responsabilidade do Distrito Militar Ocidental. Estamos tomando as contramedidas adequadas”, disse Shoigu.

A Finlândia e a Suécia solicitaram formalmente a adesão à aliança de defesa ocidental Otan na quarta-feira 18. Ironicamente, um dos motivos mais citados pelo presidente russo, Vladimir Putin, para justificar a invasão era manter Kiev fora da própria Otan, para não trazer forças ocidentais às fronteiras de seu país.

Se bem-sucedidos, os pedidos representariam a expansão mais significativa da Otan em décadas, dobrando a fronteira da aliança com a Rússia, que repetidamente alertou que seria forçada “restaurar o equilíbrio” das forças no continente, após o que chamou de “um erro grave”.

No entanto, a resposta de Moscou até agora tem sido relativamente silenciosa. Putin descreveu que a adesão da Finlândia e da Suécia não é uma ameaça em si e a Rússia só vai reagir se implementarem infraestrutura militar em seus territórios.

Mesmo assim, em última análise, esta é uma derrota para Putin. Se procurou reduzir a influência da aliança na Europa, ele só fez ampliá-la.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)