Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rússia: musa da torcida perde título após descoberta de que a moça é neonazista

Olga Kuzkova publica imagens de símbolos e saudações nazistas e racistas em redes sociais

Assim como os campeonatos de futebol brasileiros elegem suas musas a cada ano, a Rússia também promove concursos de beleza para escolhe as belas das torcidas. Este ano, uma jovem torcedora do CSKA Moscou não venceu o concurso nacional, mas conquistou o coração dos russos e foi coroada Miss Charming (algo como Miss Simpatia). Esta semana, Olga Kuzkova, de 21 anos, perdeu o título depois que as redes sociais revelaram sua outra ‘paixão’ além do futebol: a ‘charmosa Miss Simpatia’ é racista e neonazista.

Diversas fotos de Olga em sua página na rede social VKontakte, espécie de Facebook russo, mostram símbolos e saudações nazistas, como suásticas na roupa e os números 14/88, código para ‘Heil Hitler’. Em outra foto, a torcedora aparece abraçada a um homem branco sob a frase ‘White Love’ (Amor Branco).

Leia também:

Blatter acusa França e Alemanha de tentarem influenciar escolha da sede da Copa

UE prorroga extensão de sanções econômicas à Rússia até 31 janeiro de 2016

De acordo com o site de esportes Russian Football News, uma imagem postada por Olga mostrava uma montagem de duas fotos: de um lado, a foto de uma barra de chocolate e, do outro, um grupo de crianças africanas pobres. O comentário da moça, ao lado da imagem, dizia “eu amo chocolate, mas, depois dessa imagem, desenvolvi uma… aversão”.

O racismo no futebol russo não é exclusividade da Miss Simpatia e atinge jogadores de origem africana que atuam em clubes do país que irá sediar a próxima Copa do Mundo, em 2018. O brasileiro Hulk, do Zenit, é alvo frequente de ofensas racistas em campo. Nesta semana, o negro Emmanuel Frimpong, que joga em um time da cidade de Ufa, foi expulso de campo e criticado por dirigentes depois de reagir com um gesto obsceno a xingamentos racistas da torcida adversária.

(Da redação)