Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rússia lança mísseis de longa distância de navios contra alvos do EI na Síria

Nessa quarta-feira também aconteceram os primeiros ataques conjuntos entre as forças de Moscou e o regime sírio

Quatro navios russos lançaram 26 mísseis em alvos do Estado Islâmico (EI) na Síria nessa quarta-feira, informou um oficial russo. O bombardeio teria atingido 11 localidades dominadas pelos terroristas, de acordo com o Ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, que participou de um encontro televisionado com o presidente Vladimir Putin.

Sergei afirmou que os ataques foram lançados do Mar Cáspio, com mísseis de longo-alcance que voaram 1.500 quilômetros até seus alvos. Em uma semana, segundo ele, a Rússia bombardeou 112 alvos jihadistas.

Leia mais:

Exposição traz super-heróis e personalidades com a cara de Putin, o aniversariante homenageado

Rússia sinaliza cooperação com EUA em bombardeios na Síria

Para Otan, invasão russa do espaço aéreo turco foi intencional

Essa quarta-feira também marcou o início da cooperação entre Moscou e o regime de Bashar Assad. Rússia e Síria lançaram ataques coordenados contra cidades controladas pelo EI nos distritos de Hama e Idlib, oeste do país. Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, os ataques de hoje constituem “a mais intensa batalha em meses” nessas duas localidades.

Apesar das constantes declarações por parte de Moscou afirmando que os bombardeios dessa semana só atingiram terroristas, alguns dos ataques de hoje podem ter atingido civis e rebeldes apoiados pelo oeste, afirma a BBC.

Estados Unidos – Os Estados Unidos descartaram nesta quarta-feira uma cooperação com a Rússia na guerra síria, acusando Moscou de perseguir uma estratégia “tragicamente falha”, o que restringirá as conversas militares ao mínimo necessário para garantir a segurança de pilotos. As críticas do secretário de Defesa dos EUA, Ash Carter, se intensificaram nos últimos dias: “Não estamos preparados para cooperar com uma estratégia que, como explicamos, é falha – tragicamente falha – por parte dos russos”, disse Carter numa coletiva de imprensa durante viagem a Roma.

(Da redação)