Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Resgate dos mineiros chilenos começará na próxima terça

O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde, um dia após ensaio geral do resgate

Começará na próxima terça-feira o resgate dos 33 mineiros que desde o dia 5 de agosto estão presos a 700 metros de profundidade no norte do Chile, declarou o ministro da Saúde chileno, Jaime Mañalich, da cidade de Copiapó. A confirmação surgiu um dia depois de um ensaio geral do resgate e do anúncio de que a perfuradora do “plano B” alcançaria neste sábado o local onde estão os operários.

O ensaio do resgate, que pretendia medir o tempo da viagem entre a mina e o hospital estatal de Copiapó, foi realizado na noite de quinta-feira “com sucesso”, segundo as autoridades. Em um helicóptero Bell 412 da Força Aérea do Chile, 16 socorristas treinaram levar um minerador até a aeronave, para depois voarem até o hospital da cidade de Copiapó, situado a 40 quilômetros da mina San José. Entre os especialistas, dez trabalham na estatal Corporação Nacional de Cobre do Chile (Codelco), três são enfermeiros submarinistas da Armada e os outros três são brigadistas da região do Atacama.

Resgate – Na quinta-feira, o ministro das Minas, Laurence Golborne, afirmou que a perfuradora do “plano B”, a mais sofisticada entre as três que trabalham no resgate, alcançou 535 metros dos 624 totais. Por isso, a máquina conseguiria chegar aos mineiros no próximo sábado. No entanto, o ministro não quis se comprometer com nenhuma data para a retirada dos trabalhadores. Ele havia calculado que o resgate seria, no melhor dos casos, dentro de dois ou três dias a partir de sábado e, no pior, de oito a dez dias.

As informações sobre a data de retirada dos mineiros têm mudado frequentemente. A primeira previsão era de que o resgate seria possível apenas em dezembro – quatro meses depois do acidente que os soterrou, em agosto. Conforme os trabalhos avançavam, as estimativas ficavam mais otimistas. Na segunda-feira, o presidente do Chile, Sebastián Piñera, adiantou que o resgate ocorreria antes de sua viagem à Europa, prevista para o próximo dia 17. Mas, no dia seguinte, autoridades disseram que a libertação dos operários seria no próximo final de semana.

O acidente – Os 33 mineiros trabalhavam na mina de San José, no deserto do Atacama quando, no dia 5 de agosto, um desmoronamento bloqueou a saída do local, deixando-os presos a 700 metros de profundidade. A confirmação de que todos haviam sobrevivido ao acidente veio somente 17 dias depois, quando equipes de resgate fizeram o primeiro contato com eles, que anunciaram: “Estamos bem no refúgio, os 33”.

Desde então, o governo chileno trabalha em um lento processo de salvamento, enquanto os familiares se acomodam em um acampamento próximo à espera de notícias – que são enviadas por meio de vídeos e cartas. Conectados à superfície por pequenos dutos por onde são enviados alimentos, remédios e água, eles falaram diretamente com o presidente Piñera, foram cumprimentados pelo Papa Bento XVI, e receberam ajuda da Nasa.

(Com agência EFE)