Clique e assine com 88% de desconto

Republicano diz que aborto por estupro é nova agressão

John Koster está sendo chamado de 'insensível' por tratar crime como "essa coisa de estupro" em gravação. Ele diz que rival está usando suas palavras

Por Da Redação - 1 nov 2012, 16h44

Pela terceira vez durante a campanha eleitoral deste ano nos Estados Unidos, a declaração de um republicano sobre o aborto provoca discussão. Desta vez, o protagonista é John Koster, membro do Tea Party que disputa uma cadeira no Congresso pelo estado de Washington. Em uma gravação divulgada nesta quinta-feira, o político diz ser contra o aborto, mesmo em casos de estupro, quando implicaria mais violência contra o corpo da mulher. “Sobre essa coisa de estupro…como é que submeter o corpo de uma mulher a mais violência e tirar a vida de uma criança inocente que é resultado deste crime pode melhorar a situação?”

Conhecido no meio político por ser contra a interrupção da gravidez, mesmo em casos de abusos sexuais e incesto, Koster foi questionado durante um evento de arrecadação de fundos para sua campanha neste final de semana se existia alguma circunstância na qual ele aprovaria o aborto.

Saiba mais:

Eleitorado feminino volta a ser foco da campanha nos EUA

Publicidade

“Quando a vida da mãe está em risco… eu não vou tomar essa decisão”, disse, para em seguida discorrer sobre situações específicas. “Incesto é tão raro”, disse. “Mas essa coisa de estupro, você sabe, eu conheço uma mulher que foi estuprada, teve a criança e deu para a adoção. Ela não se arrepende disso. Na verdade, é uma grande ativista pró-vida”.

As declarações foram consideradas ‘insensíveis’ e viraram alvo de críticas de seus oponentes, principalmente de sua adversária democrata Suzan DelBene.

O coordenador de campanha do republicano, Larry Stickney, afirma que a gravação foi feita secretamente e editada para favorecer DelBene. “John estava em um jantar com muitas pessoas tentando atrair sua atenção. Ele expressou seus pensamentos de forma muito clara e honesta sobre um assunto muito sensível. E não tem nada do que se envergonhar”.

Depois da repercussão, o candidato declarou: “O estupro é um crime horrível e violento, e ninguém no estado de Washington foi mais duro que eu com os criminosos e maníacos sexuais”.

Publicidade

Assista o vídeo com a gravação da fala de Koster

Histórico – Na última terça-feira, o candidato republicano ao Senado pelo estado de Indiana, Richard Mourdock, disse, durante um debate, que a gravidez resultante de um estupro era “algo que Deus queria que acontecesse“.

No final de agosto, o deputado republicano pelo estado do Missouri Todd Akin causou mal-estar ao afirmar que o corpo da mulher evita gravidez em caso de estupro, o que dispensaria, em sua opinião, garantir às vítimas o direito ao aborto.

Leia também:

Publicidade

Romney pede a deputado que retire candidatura após comentário sobre estupro

Publicidade