Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Referendo sobre soberania das Malvinas ocorrerá em março

Votação definirá status de território disputado por Argentina e Grã-Bretanha

Por Da Redação 18 jan 2013, 16h37

As autoridades das ilhas Malvinas marcaram para 11 e 12 de março a realização de um referendo para definir seu status político. O arquipélago, administrado pela Grã-Bretanha desde 1833, é motivo de tensão com o governo argentino, que reclama a soberania das ilhas.

Durante esses dois dias, os moradores das Malvinas poderão responder “sim” ou “não” à pergunta “você deseja que as ilhas Malvinas conservem seu status político atual como um território ultramarino do Reino Unido?”.

Leia também:

Cristina volta a pedir diálogo sobre Malvinas com Grã-Bretanha

Malvinas celebram 30 anos de fim de guerra com Argentina

A realização do referendo havia sido anunciada pelo primeiro-ministro britânico David Cameron em 12 de junho do ano passado. O governo britânico espera que o “sim” vença com 100% dos votos, o que poderia desencorajar a Argentina em sua tentativa de retomar o território – discurso que se tornou mais frequente desde o 30º aniversário do início da guerra das Malvinas, em abril do ano passado.

Nas últimas semanas, o premiê britânico declarou estar disposto a lutar pelas ilhas onde vivem aproximadamente 3.000 pessoas – também há 1.500 soldados britânicos em uma base permanente no território. O jornal inglês The Telegraph publicou reportagem esta semana afirmando que a defesa britânica considera ampliar o efetivo militar na ilha antes da realização do referendo. Além dos 1.500 soldados, quatro jatos Typhoon da Força Aérea Real também estão nas Falklands. Há quase um ano, o príncipe William trabalhou uma missão de seis semanas na ilha, o que o governo argentino considerou uma “provocação“.

O La Nación lembra que a ONU não reconhece o direito de autodeterminação das ilhas, por se tratar de um caso especial de descolonização no qual as negociações envolvendo a soberania do território devem ser realizadas entre Argentina e Reino Unido. As Nações Unidas já convidaram os dois países a dialogar sobre a questão.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês