Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Recuperada uma das caixas-pretas do avião da AirAsia

Equipes de busca retiraram do mar dispositivo com os dados do voo 8501, que caiu com 162 a bordo. Caixa com gravações da cabine ainda não foi recuperada

Por Da Redação 12 jan 2015, 03h39

A Indonésia conseguiu recuperar nesta segunda-feira uma das duas caixas-pretas do avião da Air Asia, que caiu no Mar de Java em 28 de dezembro com 162 pessoas a bordo. O dispositivo encontrado registra os dados do voo e pode ajudar a solucionar as circunstâncias que provocaram a queda da aeronave. A outra caixa-preta, com as gravações das conversas na cabine, ainda não foi retirada do mar pelas equipes de resgate.

“Conseguimos recuperar parte da caixa-preta com as gravações dos dados sobre o voo”, informou o chefe da equipe de busca e resgate, Bambang Soelistyo. “Continuamos tentando encontrar o gravador de voz”, completou ele. O dispositivo recuperado será levado para análise na capital Jacarta. A verificação dos dados desta caixa-preta pode demorar até duas semanas.

Na sexta-feira, as equipes de busca detectaram sinais da caixa-preta. Feitas para suportar as pressões do fundo do mar, os dispositivos emitem sinais de localização – os chamados ‘pings’ – por até 30 dias. No domingo, mergulhadores localizaram uma das caixas-pretas a aproximadamente 30 metros de profundidade, mas eles só conseguiram retirá-la da água nesta segunda. De acordo com Soelistyo, o dispositivo estava embaixo de parte da fuselagem de uma das asas do avião.

Corpos – Outra prioridade das operações de busca é resgatar os corpos das vítimas. Até agora, 48 corpos foram recuperados do Mar de Java, mas o tempo ruim e as correntes marítimas têm prejudicado o trabalho dos mergulhadores. As equipes acreditam que a maior parte das vítimas esteja presa dentro de partes do avião que ainda não foram localizadas.

Tragédia – O voo QZ8501 decolou da cidade de Surabaya, na Ilha de Java e deveria ter aterrissado duas horas depois em Singapura, mas caiu no mar cerca de 40 minutos após sua saída. O piloto solicitou permissão à torre de controle para fazer um desvio à esquerda na rota e subir de 32.000 para 38.000 pés para contornar uma tempestade. A alteração de curso foi aprovada, mas a elevação negada porque outra aeronave trafegava na mesma altitude. Minutos depois, quando os controladores de voo tentaram entrar em contato para informar que o avião da AirAsia estava autorizado a subir até 34.000 pés, não houve resposta. A aeronave já havia sumido dos radares.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade