Clique e assine a partir de 9,90/mês

Rebeldes respeitarão contratos da era Kadhafi

Por BULENT KILIC - 24 ago 2011, 08h59

O Conselho Nacional de Transição (CNT) respeitará os contratos assinados com empresas estrangeiras na Líbia durante a era de Muamar Kadhafi, afirmou nesta quarta-feira à rádio BBC o principal representante do órgão político da rebelião no Reino Unido.

“Serão cumpridos”, afirmou Guma al-Gamati, depois que países como Itália e China expressaram temores sobre o futuro de seus investimentos na Líbia, um dos principais produtores de petróleo do mundo, após a queda do regime de Kadhafi, que está próximo do fim.

“As relações internacionais da Líbia com outros países devem estar baseadas no respeito e interesse mútuo, e corresponderá ao novo governo democrático da Líbia decidir que tipo de relações terá”, completou, antes de afirmar no entanto que alguns países, como a Grã-Bretanha, respaldaram a rebelião desde o início e “outros foram mais lentos como China ou Rússia”.

O representante do CNT disse ainda que por ele o processo de reconciliação na Líbia será o mais inclusivo possível, incluindo todos os que, apesar de terem permanecido leais a Kadhafi, “não tenham sangue nas mãos ou se envolvido em corrupção”.

Publicidade