Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rainha Elizabeth visitará Irlanda do Norte para celebrar Jubileu

Dublin, 31 mai (EFE).- Após dez anos de sua última visita, realizada em 2002, a rainha Elizabeth II voltará à Irlanda do Norte em junho como parte da viagem que passará pelas quatro regiões do Reino Unido para celebrar seu 60º aniversário de trono, o chamado Jubileu de Diamantes, informou o Palácio de Buckingham nesta quinta-feira.

A visita da rainha à Irlanda do Norte será realizada entre os dias 26 e 27 de junho, passando por Belfast e pela localidade de Enniskillen, palco de um dos atentados mais sangrentos do já inativo Exército Republicano Irlandês (IRA). Durante sua estadia na província britânica, a soberana estará acompanhada por seu marido, o duque de Edimburgo.

O IRA efetuou um dos atentados mais sangrentos do conflito norte-irlandês justamente em Enniskillen, no condado de Fermanagh (sudoeste do Ulster), onde a explosão de uma bomba resultou na morte de 11 pessoas em 1987.

A rainha já visitou essa região em 1977, em plena escalada do conflito armado entre católicos e protestantes, para celebrar seu Jubileu de prata. Em 2002, por conta de seu Jubileu de Ouro, Elizabeth II retornou a Enniskillen novamente.

Se em ambas as ocasiões anteriores a soberana britânica foi recebida com hostilidade e indiferença pela comunidade católica-nacionalista, a visita deste ano poderá ser muito diferente, já que se espera que a rainha possa ser recebida pelo Sinn Féin, antigo braço político do IRA.

O vice-ministro principal do Norte da Irlanda, o ex-comandante do IRA Martin McGuinness, afirmou em abril que estaria disposto a se reunir com Elizabeth II para reforçar o processo de reconciliação entre católicos e protestantes na província britânica.

No entanto, o ‘número dois’ do Sinn Féin se opôs à histórica visita que a rainha fez a República da Irlanda no último ano, a primeira de um monarca britânico desde a independência do país.

A formação republicana também nunca aceitou ocupar suas cadeiras no Parlamento de Westminster, em Londres, para não emprestar um juramento de lealdade à Coroa britânica.

O ministro principal norte-irlandês, o unionista Peter Robinson, celebrou o fato do Palácio de Buckingham ter informado da visita com bastante adiantamento, o que permitirá ‘mais presença de público’.

Em anteriores ocasiões, Buckingham preferiu não dar muitos detalhes sobre os preparativos de suas visitas para reforçar o dispositivo de segurança diante do temor de ataques de grupos terroristas.

‘É um sinal de progresso o fato de a visita ter sido informada e permitir a presença do público’, escreveu em sua conta de Twitter o líder protestante. EFE