Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Quebra de ética’ no Exército preocupa secretário da Defesa dos EUA

Revelação de esquema para fraudar exames prejudica imagem das Forças Armadas americanas

O secretário americano de Defesa, Chuck Hagel, está preocupado com os recentes escândalos que dão um sinal de “quebra da ética” nas Forças Armadas americanas e pediu aos comandantes que tratem desse problema de forma urgente, informou seu porta-voz na noite desta quarta-feira. Hagel está preocupado com as revelações de fraudes em exames de ingresso na corporação, entre outros incidentes, e discutiu o tema com os chefes de todos os serviços armados em um encontro realizado em Washington, afirmou o contra-almirante John Kirby, em uma entrevista coletiva.

“Acho que ele se preocupou, de forma geral, com o fato de que possa haver, pelo menos em algum nível, uma quebra do comportamento ético e da demonstração de coragem moral”, afirmou Kirby.”E acho que ele quer abordar isso”, completou. O chefe do Pentágono falou um dia depois da revelação de que trinta marinheiros da Marinha americana estão sendo investigados por envolvimento em um esquema de fraudes para passar em um exame para instrutores. Além disso, na semana passada, a Força Aérea informou que ao menos 92 oficiais estão ligados a um escândalo de fraudes em exames em uma base no estado de Montana.

Leia também

Governo dos Estados Unidos nomeia novo diretor da NSA

Secretário de Defesa americano visita o Paquistão

Essas acusações se somam a uma série de incidentes constrangedores envolvendo vários generais e almirantes, substituídos ou investigados por má conduta pessoal no último ano. O mau comportamento inclui casos de consumo excessivo de álcool em missões internacionais, por exemplo, relações extraconjugais e prática de jogo ilegal. “Esses fatos têm sua completa atenção”, garantiu Kirby, destacando que Hagel “está preocupado com a saúde da corporação e com a cultura de prestação de contas e de responsabilidade, que os americanos esperam das suas Forças Armadas”.

(Com agência France-Presse)