Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Putin decreta que champanhe é russo e inicia briga comercial com a França

Produtores franceses interromperam temporariamente remessas da bebida para a Rússia

Por Alessandro Giannini Atualizado em 6 jul 2021, 14h34 - Publicado em 6 jul 2021, 14h32

As denominações de origem e os sistemas de certificação da procedência foram criados justamente para garantir que uma garrafa com a inscrição champanhe no rótulo traga o líquido borbulhante produzido na região de Champagne, na França, de acordo com rigorosos processos. Uma nova lei assinada recentemente na Rússia, no entanto, diz que agora a palavra poderá ser usada para batizar vinhos espumantes russos, chamados shampanskoye em russo. As bebidas estrangeiras, incluindo champanhes franceses, serão classificadas a partir de agora como “vinhos espumantes”.

A lei assinada pelo presidente russo Vladimir Putin gerou polêmica e iniciou o que pode evoluir para uma guerra comercial. A renomada produtora francesa Moet-Hennessy disse na segunda-feira que estava suspendendo os embarques de champanhe para a Rússia. “Essas disposições levam a uma suspensão temporária das entregas de produtos para avaliar o impacto desta nova lei”, disse a porta-voz da Moet-Hennessy, Anne Catherine Grimal, de acordo com a agência de notícias estatal russa RIA-Novosti.

Até o presidente de um dos maiores produtores de vinho da Rússia acha que a lei foi longe demais. “Para mim, não há dúvida de que o verdadeiro champanhe vem da região de Champagne na França”, disse Pavel Titov, presidente da Abrau-Dyurso, à RIA-Novosti. “É muito importante proteger os vinhos russos em nosso mercado. Mas as medidas legislativas tomadas devem ser razoáveis ​​e não contradizer o bom senso.”

Publicidade