Clique e assine com 88% de desconto

Protestos no Brasil são destaque de capa do NYT

Para o jornal americano, em edição desta quarta-feira, manifestações são “o maior desafio às autoridades brasileiras em anos”

Por Da Redação - 19 jun 2013, 14h44

A onda de protestos pelo Brasil ganhou destaque na capa da edição desta quarta-feira do jornal americano The New York Times, que classifica a manifestação como “o maior desafio às autoridades brasileiras em anos”. A imprensa europeia também deu grande destaque aos protestos, com análises sobre o custo da Copa e os problemas econômicos enfrentados pelo Brasil.

Leia também:

Leia também: Imprensa internacional destaca descontentamento com governantes

A principal foto da capa do NYT é a de um policial jogando gás de pimenta em uma mulher durante o protesto de segunda-feira no Rio de Janeiro. O jornal afirma que os manifestantes estão indignados com a corrupção, o alto custo de vida e os gastos excessivos do governo com a Copa do Mundo e as Olimpíadas. E que os protestos evidenciam a percepção de que o governo está preocupado demais com a imagem do país no exterior enquanto serviços básicos como educação e saúde continuam em situação precária.

Publicidade

Já a rede britânica BBC e o canal americano CNN falam nesta quarta-feira do reforço da Força Nacional de Segurança em algumas cidades que recebem jogos da Copa das Confederações. A CNN afirma que há, entre os manifestantes, vândalos, que promoveram depredações e saques em São Paulo na noite de terça-feira.

A BBC diz que os protestos contra o aumento da tarifa de ônibus em São Paulo, que entrou em vigor no dia 2 de junho, se transformaram em uma manifestação muito mais ampla de “descontentamento contra os altos níveis de corrupção, serviços precários de saúde e educação e alto custo de vida”.

Galeria de fotos: Protestos pelo Brasil

A versão on-line da revista Economist diz que os protestos foram inicialmente menosprezados pelos moradores de São Paulo por estarem voltados ao “objetivo irreal da tarifa grátis” defendido pelo “grupo radical Movimento Passe Livre”. No entanto, a Economist destaca que, após a divulgação de imagens de ataques contra jornalistas e manifestantes, a situação mudou, e muitos brasileiros começaram a protestar contra o “infame custo dos estádios para a Copa do Mundo de 2014”. A revista diz que a explosão de atos violentos no Rio de Janeiro não foi coincidência, pois é onde “a polícia é truculenta e corrupta até para os padrões brasileiros”.

Publicidade

O jornal britânico The Guardian diz que a influência dos Brics no mundo foi simbolizada pelas Olimpíadas de Pequim em 2008 e da Copa do Mundo na África do Sul em 2010 e será reforçada com as próximas edições da Copa e das Olimpíadas, ambas no Brasil. O jornal diz que China e África do Sul usaram os megaeventos para estimular o desenvolvimento e acelerar os investimentos em infraestrutura, mas acabaram com caríssimos elefantes brancos – estádios que raramente são usados – e que o Brasil pode sofrer com o mesmo problema.

Conversa em Rede: Opine sobre os protestos

Na França, o jornal Le Monde lembra que a onda de protestos ocorre a quinze meses das eleições presidenciais de outubro de 2014 e afirma que as manifestações “fragilizam a coalizão governamental de centro-esquerda que ocupa o poder desde 2003”.

Publicidade