Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Protestos contra morte de líder separatista na Caxemira indiana deixam 23 mortos

Vinte e três pessoas morreram e mais de 200 ficaram feridos nos três dias de protestos violentos na Caxemira indiana pela morte na sexta-feira de um terrorista do grupo separatista Hizbul Mujahideen (HM) pelas forças de segurança.

Entre os mortos estão uma adolescente e um agente da polícia que estava dentro de uma viatura empurrada no rio Jhelum por uma multidão, detalhou o porta-voz do governo regional, Naeem Akhtar, em entrevista coletiva na capital de verão da Caxemira, Srinagar.

A imposição de um toque de recolher e o bloqueio das redes de internet e telefonia móvel não foram suficientes para conter a onda de violência.

Leia também:

Terroristas de Bangladesh eram jovens da elite de Daca

Tempestades de raios deixam pelo menos 93 mortos na Índia

Fotografias de Srinagar registradas mostram ruas desertas cercadas com arame farpado e soldados das forças de segurança indianas armados com fuzis.

O insurgente separatista Burhan Wani, de 21 anos e um dos rostos mais conhecidos da HM por sua atividade nas redes sociais, morreu na sexta-feira junto com outros dois terroristas em uma operação conjunta da polícia e do Exército indianos na cidade de Kokernag. Após saber da notícia, líderes independentistas convocaram uma greve de três dias para protestar contra a morte de Wani.

(Com EFE)