Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Presidente de Honduras ajudou a traficar cocaína aos EUA, acusa promotor

Segundo promotoria de NY, Juan Orlando Hernández protegia traficante internacional da justiça hondurenha e o ajudava no transporte da droga; político nega

Por Da Redação Atualizado em 10 mar 2021, 10h02 - Publicado em 10 mar 2021, 09h51

O presidente de Honduras, Juan Orlando Hernández, ajudou a traficar milhares de quilos de cocaína para os Estados Unidos, segundo um promotor americano. A acusação foi feita nesta terça-feira 9, durante as alegações iniciais do julgamento federal contra o suposto traficante de drogas Geovanny Fuentes, em Nova York.

O promotor Jacob Gutwillig disse ao júri que Fuentes “subornou o presidente de Honduras” e se tornou “intocável” como resultado dessa associação. “O presidente o tornou à prova de balas”, declarou.

Em 2013 e 2014, Fuentes pagou subornos por um total de “25.000 dólares em notas com o dinheiro da droga” ao atual presidente, em troca de proteção e algo mais valioso: acesso ao laboratório da droga do acusado” nas montanhas de Honduras, acrescentou. O promotor disse ainda que Hernández chegou a afirmar ao traficante “que levaria tanta cocaína para os Estados Unidos que ‘meteriam as drogas pelos narizes dos gringos'”.

Até agora, Hernández tem negado consistentemente qualquer envolvimento, algo que reiterou na terça no Twitter, em uma série de mensagens nas quais também emitiu um alerta a Washington.

O presidente hondurenho é um aliado próximo dos Estados Unidos desde 2014, primeiro sob o governo de Barack Obama, do qual o atual presidente, Joe Biden, era vice, e depois de 2017 a janeiro deste ano com Donald Trump.

Diante das acusações, porém, o governo dos Estados Unidos advertiu que não pode ter laços estreitos com líderes que não combatem a corrupção. “Um líder, penso que é justo dizer, que não está preparado para combater a corrupção não está em condições de desfrutar de uma estreita colaboração com os Estados Unidos”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price, em sua entrevista coletiva diária, em resposta a uma pergunta sobre o suposto envolvimento de Hernández.

“Estamos comprometidos na luta contra a corrupção em Honduras. E continuaremos a apoiar e trabalhar com líderes comprometidos com a luta contra a corrupção”, completou. A este respeito, o porta-voz insistiu que Washington apoia o Estado de Direito na luta contra a impunidade no país centro-americano.

“Isso é verdade em Honduras, é verdade em todos os níveis em Honduras, estamos trabalhando com funcionários do governo, sociedade civil e setor privado hondurenhos para construir um futuro melhor para o povo hondurenho, esse é o nosso objetivo”, disse Price.

(Com EFE)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês