Clique e assine com até 92% de desconto

Presas 40 pessoas na Turquia, entre elas um fotógrafo da AFP

Por Bulent Kilic 20 dez 2011, 14h37

Quarenta pessoas, entre elas um fotógrafo da AFP, foram detidas nesta terça-feira (20) durante uma operação policial em várias cidades da Turquia contra suspeitos de conivência com rebeldes curdos, informou a agência de notícias Anatolia.

Entre os presos está um fotógrafo da AFP, Mustafa Özer. Antes de sua detenção, a casa onde vive em Istambul foi revistada durante várias horas pela polícia anti-terrorista, afirmou seu advogado, Sibel Tokaoglu.

A polícia apreendeu CDs e documentos e copiou cartões de memória pertencentes ao fotógrafo, acrescentou.

Pelo menos 38 pessoas, incluindo um número indeterminado de jornalistas, foram detidos por suspeita de terem ligações com a KCK (União das Comunidades Curdas), afirmou a Anatólia.

O KCK, uma organização clandestina, é suspeito de ser o braço urbano do movimento armado PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) que luta desde 1984 contra o governo, primeiro pela independência e, depois, pela autonomia das regiões curdas da Turquia .

De acordo com as leis turcas anti-terrorismo, os suspeitos podem ser detidos por quatro dias antes de comparecerem perante um juiz, que pode decidir acusá-los e decretar prisão preventiva.

Desde 2009, 700 pessoas, segundo o governo, e 3.500, inclusive deputados e líderes locais, de acordo com a mídia curda, foram presos após serem acusados de conivência com o KCK.

Cerca de 70 jornalistas e intelectuais foram detidos na Turquia, gerando críticas e a condenação de associações de defesa dos direitos Humanos e da União Europeia (UE).

Continua após a publicidade
Publicidade