Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Prefeito em campanha pela reeleição é assassinado no México

Desde o início da campanha eleitoral, 113 políticos foram mortos no país; violência aumenta na medida que se aproxima o dia da eleição, 1 de julho

Por Da Redação - Atualizado em 15 jun 2018, 19h04 - Publicado em 15 jun 2018, 16h43

Atiradores mataram um prefeito que concorria à reeleição no México nesta quinta-feira (15), nesta que já é considerada a campanha eleitoral mais sangrenta do México na história moderna. Pelo menos 113 políticos foram mortos.

O prefeito Alejandro Chavez Zavala, da coalizão de direita-esquerda liderada pelo Partido de Ação Nacional (PAN), morreu em um hospital hoje, segundo o governador de Michoacan, Silvano Aureoles, publicou no Twitter. Ainda nesta semana, um candidato a deputado federal foi morto com um tiro na cabeça enquanto tirava uma selfie com um apoiador.

Assassinatos políticos abalam a atual campanha eleitoral, na qual eleitores decidirão sobre 3.000 cargos eletivos, incluindo a Presidência. A violência tem se intensificado na medida que se aproxima a data da eleição, 1º de julho.

A disputa pela Presidência do México está concentrada nas candidaturas do ex-prefeito da Cidade do México, o populista Andrés López Obrador, e de Ricardo Anaya, de centro-direita. Os eleitores se mostram desencantados com o governo do presidente, Enrique Peña Nieto, do Partido Revolucionário Institucional (PRI), diante dos recordes de violência e do lento crescimento econômico.

Publicidade

(Com Reuters)

Publicidade