Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Polícia portuguesa diz não ter indício para reabrir caso Madeleine

Segundo autoridades, não há 'elementos novos que permitam investigação'

Por Da Redação 26 abr 2012, 10h38

As autoridades portuguesas não contam com nenhum elemento novo que permita determinar a reabertura da investigação sobre o desaparecimento, em 2007, da menina britânica Madeleine McCann, durante férias em Portugal, indicou um funcionário da polícia judicial (PJ).

“Até o momento, não há elementos novos que permitam reabrir a investigação”, declarou Pedro do Carmo, diretor-nacional adjunto da PJ. Uma equipe de investigadores portugueses segue reexaminando o caso, em colaboração com policiais britânicos, acrescentou.

Cinco anos depois do desaparecimento da menina, a polícia britânica declarou na quarta-feira que existe a possibilidade de que Madeleine McCann esteja viva. “Acreditamos sinceramente que exista a possibilidade de que ela esteja viva”, declarou Andy Redwood, da Divisão de Homicídios e Crimes Graves da Scotland Yard em um rápido encontro com a imprensa, durante o qual divulgou uma foto alterada por computador que mostra o provável aspecto da menina com quase nove anos.

Leia também:

Leia também: Pais de Madeleine pedem reabertura de investigação

Redwood disse ainda que, em uma estimativa conservadora, a equipe de investigação reuniu 40.000 de evidências que totalizam cerca de 100.000 páginas de processo. Os investigadores mostraram o que aparentemente são “lacunas” na linha do tempo estabelecida pelos médicos forenses, indicando existir oportunidades para que Madeleine tenha sido sequestrada.

Continua após a publicidade

Atualização – A polícia aproveitou a ocasião para difundir uma foto criada por computador para mostrar como seria agora a pequena Maddie, que, no próximo dia 12 de maio, faria 9 anos, e voltou a pedir a cooperação dos cidadãos para fornecer qualquer informação que possa contribuir a investigação.

“Acreditamos que é a única maneira que podemos estabelecer adequadamente o que aconteceu com Madeleine McCann e, em última instância, fechar o caso com uma solução”, concluiu Redwood.

Segundo a polícia britânica, os colegas portugueses também desejam uma reabertura do caso, mas a decisão corresponde à justiça do país.

Mistério – A pequena Maddie desapareceu na noite de 3 de maio de 2007, poucos dias antes de seu quarto aniversário, em seu apartamento de um complexo turístico da Praia da Luz (Algarve, sul), onde seus pais a colocaram para dormir antes de ir jantar em um local próximo com amigos.

O caso foi investigado durante 14 meses e fechado sem nenhum resultado em Portugal. Mas os pais da pequena Maddie, Gerry e Kate McCann, convencidos de que a mais velha de seus três filhos foi sequestrada, pressionaram para que o governo britânico pedisse, em maio de 2011, à polícia uma revisão dos diferentes elementos recompilados ao longo da investigação.

A família McCaan ficou encorajada depois da revisão feita pela Scotland Yard, segundo seu porta-voz Clarence Mitchell. “Eles tiraram uma grande força de todo este processo. Eles sentem que, finalmente, um procedimento adequado de investigação está para ser aplicado à investigação”, afirmou.

“A resposta está em algum ponto de toda essa montanha de informações”, declarou ainda.

Continua após a publicidade
Publicidade