Clique e assine a partir de 9,90/mês

Polícia analisa nova informação sobre morte de Lady Di

Em comunicado, polícia britânica diz que ainda avalia credibilidade da informação, mas não divulga detalhes

Por Da Redação - 17 ago 2013, 18h08

Reportagem atualizada às 18h de domingo

A polícia britânica anunciou neste sábado que analisa novas informações sobre as mortes, em 1997, da princesa Diana e de Dodi al Fayed, que era então seu namorado. O órgão disse que “avalia a relevância e a credibilidade” das informações.

“Não se trata de uma nova investigação, nem tampouco de material oriundo da Operação Paget”, afirma o comunicado, em referência à inquérito policial concluído em 2006, que analisou a hipótese de que Diana e Dodi al Fayed tivessem sido assassinados.

Segundo a imprensa britânica, os dados sob análise vêm da corte marcial de um soldado da Special Air Service (SAS), uma força militar de elite.

Continua após a publicidade

Uma das testemunhas chave do processo teria afirmado que “a SAS esteve por trás das mortes de Diana e Dodi”.

A Polícia Metropolitana de Londres não confirmou essas versões. Um porta-voz da família real afirmou que não seriam feitos comentários.

Diana, Dodi e o chofer morreram em acidente de carro em um túnel enquanto eram perseguidos por fotógrafos após o casal deixar o Hotel Ritz, em agosto de 1997. Ex-mulher do herdeiro do trono britânico, o príncipe Charles, e mãe dos príncipes William e Harry, ela tinha 36 anos quando morreu.

Leia também:

Continua após a publicidade

Diana: a morte transformou em mito a ‘princesa do povo’

Trailer de ‘Diana’ faz entrever hagiografia da princesa

(Com agência Reuters)

Publicidade