Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Polícia analisa nova informação sobre morte de Lady Di

Em comunicado, polícia britânica diz que ainda avalia credibilidade da informação, mas não divulga detalhes

Reportagem atualizada às 18h de domingo

A polícia britânica anunciou neste sábado que analisa novas informações sobre as mortes, em 1997, da princesa Diana e de Dodi al Fayed, que era então seu namorado. O órgão disse que “avalia a relevância e a credibilidade” das informações.

“Não se trata de uma nova investigação, nem tampouco de material oriundo da Operação Paget”, afirma o comunicado, em referência à inquérito policial concluído em 2006, que analisou a hipótese de que Diana e Dodi al Fayed tivessem sido assassinados.

Segundo a imprensa britânica, os dados sob análise vêm da corte marcial de um soldado da Special Air Service (SAS), uma força militar de elite.

Uma das testemunhas chave do processo teria afirmado que “a SAS esteve por trás das mortes de Diana e Dodi”.

A Polícia Metropolitana de Londres não confirmou essas versões. Um porta-voz da família real afirmou que não seriam feitos comentários.

Diana, Dodi e o chofer morreram em acidente de carro em um túnel enquanto eram perseguidos por fotógrafos após o casal deixar o Hotel Ritz, em agosto de 1997. Ex-mulher do herdeiro do trono britânico, o príncipe Charles, e mãe dos príncipes William e Harry, ela tinha 36 anos quando morreu.

Leia também:

Diana: a morte transformou em mito a ‘princesa do povo’

Trailer de ‘Diana’ faz entrever hagiografia da princesa

(Com agência Reuters)