Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Plataforma de petróleo afunda na Rússia e deixa 4 mortos e 49 desaparecidos

Moscou, 8 dez (EFE).- Pelo menos quatro pessoas morreram e 49 estão desaparecidas nas gélidas águas do Pacífico, a 200 quilômetros da ilha de Sakhalin, no extremo oriente da Rússia, devido ao naufrágio de uma plataforma de petróleo.

Foram resgatadas, até o momento, apenas 14 das 67 pessoas que estavam na plataforma Kolskaya, que afundou no mar de Ojotsk em meio a uma tempestade de neve e ondas de até seis metros. As condições meteorológicas impediram o resgate de quatro corpos que estão na água sem sinais de vida.

O naufrágio aconteceu quando a plataforma petrolífera era rebocada da península de Kamchatka em drieção à ilha de Sakhalin e foi surpreendida por uma forte tempestade que danificou sua estrutura.

A tripulação, que tinha emitido sinais de socorro às 22h24 GMT (20h24 de Brasília) de sábado, esperava ser salva por helicópteros, mas a Kolskaya afundou antes da chegada das equipes de resgate.

O presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, ordenou o envio de ‘toda a ajuda necessária’ às vítimas, e a investigação das circunstâncias que levaram à catástrofe, segundo um comunicado divulgado pelo Kremlin.

Os 14 sobreviventes foram resgatados pelo navio quebra-gelo Magadan e o rebocador Neftegaz-55. Posteriormente, helicópteros que se somaram às buscas encontraram vazias as quatro balsas de salvamento da plataforma.

Ainda há esperanças de encontrar vítimas com vida, já que os tripulantes e passageiros da Kolskaya tiveram tempo de se preparar para o naufrágio.

Todos, segundo as autoridades russas, dispunham de meios individuais de salvamento, de coletes e trajes hidrotérmicos especiais, que permitem resistir à temperatura das águas dessa região do Pacífico, que beira os zero graus centígrados.

O rebocador Neftegaz-55, que salvou nove dos 14 náufragos, foi obrigado a suspender os trabalhos de busca e resgate ao detectar uma grande fissura no casco da plataforma.

Os meteorologistas não preveem para as próximos dois dias melhoras nas condições climáticas da região, mas ondas de seis a sete metros, tempestades de neve e ventos de 17 a 18 metros por segundo.

Cientes da corrida contra o tempo devido à temperatura da água, as autoridades russas reforçaram as unidades que participam das operações de resgate dos sobreviventes.

É esperada a qualquer momento a chegada dos navios Smit Sakhalin e Atlas, e para a madrugada a do o avião de reconhecimento Antonov-74 para rastrear a área do acidente.

Com a escuridão, os helicópteros se viram obrigados a suspender os voos e retornar a suas bases. Mas apesar da tempestade de neve e das fortes ondas, o quebra-gelo Magadan e um avião Iliushin-38 continuam os trabalhos de busca.

A plataforma Kolskaya, pertencente ao consórcio Arktikmorneftegazrazvedka e que faz perfurações para encontrar hidrocarbonetos nos mares árticos da Rússia, foi construída na Finlândia em 1985. Com 69,2 metros de extensão e 80 de largura, tinha capacidade para 102 pessoas.

Em agosto ela foi transferida de Murmansk ao mar de Ojotsk para realizar prospecções perto da costa ocidental da península de Kamchatka. Depois destes trabalhos, ela seria utilizada pela empresa russo-vietnamita Vietsovpetro. EFE