Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Passagem entre Gaza e Egito reabre para resgate de estrangeiros

A rota havia sido fechada no sábado 4, após um ataque israelense atingir um comboio de ambulâncias

Por Da Redação
Atualizado em 6 nov 2023, 11h43 - Publicado em 6 nov 2023, 09h17

A autoridade de fronteira da Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas, disse nesta segunda-feira, 6, que a passagem de Rafah para o Egito voltou a abrir para o resgate de cidadãos estrangeiros na zona de guerra, que têm deixado o território palestino de forma controlada desde 1º de novembro. A travessia pela fronteira havia sido fechada no sábado 4.

De acordo com a agência de notícias Reuters, a saída de Gaza está limitada a listas de nomes publicadas pelo governo egípcio. Até agora, nenhum brasileiro foi incluído nas três listas publicadas na semana passada. Os novos nomes autorizados a cruzar a fronteira nesta segunda-feira ainda não foram divulgados.

Mais cedo, uma autoridade do Egito que atua na fronteira com a Faixa de Gaza afirmou que a passagem de Rafah poderia ser aberta novamente para permitir a entrada de ajuda humanitária e a saída de palestinos feridos, bem como de cidadãos estrangeiros, de acordo com a emissora americana CNN. A autoridade de Gaza não mencionou a permissão de passagem de veículos com suprimentos para Gaza.

Nesta segunda-feira, uma barreira de concreto que foi erguida no sábado 4 na passagem de Rafah para o Egito – atualmente a única forma de entrar e sair de Gaza, já que o resto das rotas são controladas por Israel – foi removida. Ao mesmo tempo, caminhões com suprimentos da organização humanitária Crescente Vermelho Egípcio começaram a se alinhar no lado egípcio da fronteira.

A passagem estava fechada há quase 48 horas, desde o último sábado, depois que um ataque aéreo israelense atingiu, na sexta-feira 3, um comboio de ambulâncias da organização humanitária Crescente Vermelho Palestino que se dirigia a Rafah para que palestinos feridos pudessem ser tratados no Egito.

Continua após a publicidade

As Forças de Defesa de Israel (FDI) assumiram a autoria do ataque a afirmaram que o alvo era uma das ambulâncias, que alegaram estar sendo “usada por uma célula do grupo terrorista Hamas”. O Ministério da Saúde palestino em Gaza, administrado pelo Hamas, rejeitou as acusações das FDI.

Depois de semanas de cerco israelense, a passagem de Rafah foi aberta na semana passada para permitir que titulares de passaportes estrangeiros e civis palestinos gravemente feridos deixassem a zona de guerra para o Egito.

O primeiro grupo partiu na última quarta-feira, dia 1º. Centenas de estrangeiros – a maioria americanos – conseguiram sair de Gaza após a publicação de listas controladas. Brasileiros, porém, não foram incluídos em nenhuma das listas.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.