Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Passagem do furacão Patricia mata seis pessoas

Acidentes causados com a chegada do fenômeno natural ao México atingiram um grupo que acampava na floresta de Tapalpa, no estado de Jalisco

A passagem do furacão Patricia pelo estado mexicano de Jalisco deixou pelo menos seis mortos e um ferido. Entre os mortos está a argentina Andrea Fabiola Aldrete, de 45 anos, e María do Carmen San Miguel, de 61 anos, moradora do estado de Coahuila, no Norte do país. María foi atingida por uma árvore que caiu por causa dos fortes ventos que atingiram a localidade. Silvia Capella ficou machucada, com lesão na coluna, e foi levada a um hospital regional.

Furacão Patrícia destrói casas no México, mas estrago é menor que esperado

Vídeos mostram chegada devastadora do furacão Patricia ao México

As três mulheres acampavam junto com um grupo de amigos na floresta de Tapalpa, ao sul do estado de Jalisco, onde o furacão tocou terra na sexta-feira pela tarde e causou os principais estragos. De acordo com fontes da Defesa Civil da região Sul de Jalisco, outras quatro pessoas morreram na tarde da sexta-feira em um acidente automobilístico entre dois veículos na estrada que vai da cidade de Colima a Guadalajara, capital de Jalisco. Também foram registradas outras duas mortes por acidentes automobilísticos em estradas de Tapalpa e Cidade Guzmán, entre elas a de um militar que estava de folga.

O furacão atingiu o estado de Jalisco, na sexta-feira, com ventos que passavam dos 270 quilômetros por hora – antes de chegar à costa, a velocidade registrada alcançou uma média de 325 quilômetros por hora. Patrícia também destruiu dezenas de casas em um povoado na costa do Pacífico mexicano e se dissipou no sábado, sem causar a catástrofe que se previa depois de ser considerado o furacão “mais potente” já registrado pela Meteorologia.

Leia também:

Patricia, o maior furacão registrado no mundo, chega à costa do México

(Com EFE)