Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Partidos da Irlanda do Norte felicitam Elizabeth II

Dublin, 6 fev (EFE).- Os líderes dos principais partidos políticos da Irlanda do Norte, exceto o nacionalista Sinn Féin, elogiaram nesta segunda-feira a rainha Elizabeth II, que completou o 60º aniversário de sua chegada ao trono.

O primeiro-ministro norte-irlandês, o unionista Peter Robinson, destacou o ‘significativo papel’ desempenhado por ‘Vossa Majestade’ durante ‘tanto tempo’ e, especialmente, seus esforços para melhorar as relações entre as jurisdições britânica e irlandesa.

O líder do majoritário Partido Democrático Unionista (DUP) se referiu à histórica visita da rainha em abril do ano passado à República da Irlanda, a primeira de um monarca britânico ao país em quase 100 anos.

‘Para nós na Irlanda do Norte, ela não só exerce o importante trabalho de dar Consentimento Real a toda legislação que aprovamos, também celebramos suas visitas aqui e desejamos que, como parte de sua agenda neste ano, esteja uma visita à Irlanda do Norte’, disse Robinson.

O líder do Partido Social-Democrata e Trabalhista (SDLP), o moderado católico Alisdair McDonnell, felicitou Elizabeth II por suas ‘conquistas’ em nome da ‘tradição republicana não violenta que representou’.

‘Há muita gente na Irlanda do Norte que avalia a união com o Reino Unido e que avalia a monarquia e a contribuição da rainha Elizabeth II. Não só reconhecemos isso, como também respeitamos’, declarou o dirigente nacionalista.

McDonnell também ressaltou a importância da visita da monarca ao sul da Irlanda no ano passado, que qualificou como ‘um passo importante’ no processo de reconciliação entre ‘o povo das ilhas’.

Para o Partido Unionista do Ulster (UUP, segunda formação regional), o papel da rainha como cabeça do Reino Unido é motivo de ‘orgulho para todos’.

Tom Elliott, líder do UUP, opinou nesta segunda-feira que a recente visita da rainha à República da Irlanda poderia encorajar o país ‘a considerar a possibilidade de reingressar na Comunidade das Nações’, que abandonou em 1948, 27 anos após sua independência do Reino Unido.

Embora o Sinn Féin, antigo braço político do já inativo Exército Republicano Irlandês (IRA), tenha se oposto à presença da monarca em solo irlandês, seu ‘número dois’ e vice-ministro principal norte-irlandês, Martin McGuinness, indicou recentemente que agora estaria disposto a se reunir com ela. EFE