Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Partido pró-independência critica declaração da Catalunha

Sobre suspensão de independência, deputada afirma que "talvez tenhamos perdido uma oportunidade histórica"

Um dos partidos a favor da criação de uma república catalã mostrou descontentamento com o pronunciamento desta terça-feira feito por Carles Puigdemont, que anunciou a independência da Catalunha para logo em seguida suspender temporariamente a decisão. Anna Gabriel, porta-voz do CUP, uma das agremiações mais ativas do movimento separatista, disse que hoje “uma oportunidade foi perdida” para declarar a independência da região do restante da Espanha.

“Acreditamos que a criação da república catalã é a única via de negociação possível com o governo espanhol”, disse Gabriel diante dos deputados após o discurso de Puigdemont. No Twitter, o CUP reiterou as palavras da parlamentar. “Acreditamos que a república catalã deveria ser proclamada hoje e talvez, talvez, tenhamos perdido uma oportunidade histórica”.

Jornais espanhóis apontaram o atraso de mais de uma hora para o início da sessão parlamentar de hoje em Barcelona aconteceu devido a descontentamentos do CUP e Junts pel Sí, outra sigla pró-independência, com a linguagem do pronunciamento de Puigdemont e o posicionamento do governo quanto à independência – ambos os grupos cobravam uma declaração imediata de autonomia. Nenhum deputado das legendas aplaudiu o anúncio do presidente catalão.

Segundo o jornal La Vanguardia, os dez deputados do CUP planejavam fazer uma “intervenção vocal” no Parlamento logo após o discurso de Puigdemont, quando iriam se dirigir em diversos idiomas aos vários meios de comunicação presentes, mas abandonaram o plano de última hora. Gabriel assinou um documento de declaração de independência da Catalunha, mas, como o partido frisou em postagem no Twitter, “sem qualquer suspensão, tal como pedimos”.

O grupo estudantil Arran, ligado ao CUP e a movimentos independentistas, acusou a suspensão da declaração de “uma traição inadmissível” e diz que Puigdemont “interrompe o mandato claro e robusto do referendo”. “Agora, mais que nunca, precisamos continuar organizados para a aplicação imediata de independência. Que a prudência não nos transforme em traidores”, escreveu o grupo no Twitter.

 

Oposição

A líder da oposição no Parlamento da Catalunha, Ines Arrimadas, do partido Ciudadanos, criticou duramente o discurso do presidente de Puigdemont, e afirmou que o processo de independência catalão é um”golpe de Estado” que “nunca contou com uma maioria para declarar a independência”. Arrimadas disse, comunicando-se em espanhol com os parlamentares, que a maioria do povo da Catalunha sente que são catalães, espanhóis e europeus e que considera a Catalunha como sua terra, a Espanha como seu país e a Europa o seu futuro.