Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Para Governo do Chile incêndios podem ter intenção política ou econômica

Por Da Redação - 3 jan 2012, 16h04

Santiago do Chile, 3 jan (EFE).- O Governo chileno acredita que possam existir ‘intenções políticas ou econômicas’ por trás de alguns dos incêndios que estão arrasando milhares de hectares de vegetação no sul do país.

‘Não quero arriscar, mas na verdade poderia ter alguma intencionalidade com relação ao Governo por parte de algumas empresas’, declarou o ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, ao canal ’24 Horas’.

Durante uma inspeção terrestre pelo município de Ránquil, o ministro insinuou que alguns dos incêndios poderiam ser provocados de forma deliberada, já que foram detectados vários focos separados de outros ardendo simultaneamente.

‘A hipótese da intencionalidade não podemos descartar ao pensar como surgiram e desenvolveram (os incêndios)’, disse o ministro, que deu instruções à investigação para averiguar as circunstâncias destes casos.

Publicidade

As suspeitas do ministro Hinzpeter se somam aos comentários feitos pelo ministro de Agricultura, Luis Mayol, que afirmou à rádio ‘Biobío’ que é ‘ao menos curioso’ que 58 incêndios tenham acontecido em circunstâncias similares.

Mayol, que assumiu como ministro na quinta-feira, acrescentou que é suspeita a coincidência no tempo de vários focos na região, motivo pelo qual foi aberta uma investigação.

Os incêndios florestais que há uma semana afetam às regiões de Magallanes, Biobío e Maule destruíram até o momento cerca de 37.400 hectares de vegetação e obrigaram o fechamento do parque Torres del Paine, uma vasta reserva situada na Patagônia chilena.

Na região de Biobío, o fogo arrasou uma fábrica de painéis de madeira da companhia Celulosa Arauco.

Publicidade

No passado, foram registrados nessa região alguns ataques contra instalações de empresas florestais que as autoridades vincularam a ativistas radicais da etnia mapuche.

A única pessoa processada até o momento pelos incêndios dos últimos dias é o turista israelense Rotem Singer, a quem as autoridades chilenas acusam de ser o causador não intencional do incêndio florestal em Torres del Paine. EFE

Publicidade