Clique e assine a partir de 9,90/mês

Paquistão executa 4 condenados por ataque a escola

Homens estavam presos sob acusação de terem participado do mais grave atentado no país, que deixou 151 mortos em dezembro de 2014

Por Da Redação - 2 dez 2015, 08h21

O Paquistão executou nesta quarta-feira por enforcamento os primeiros quatro condenados pelo ataque terrorista contra uma escola do Exército na cidade de Peshawar, no noroeste do país, em dezembro do ano passado. O atentado deixou 151 mortos, sendo 125 crianças.

Segundo a agência de notícias EFE, as execuções aconteceram em uma prisão da cidade de Kohat dois dias depois que o chefe do exército paquistanês, Raheel Shari, autorizou os enforcamentos e quatro meses após a condenação dos agressores por um tribunal militar.

Leia também:

Diante de impasse, Paquistão adia enforcamento de paraplégico

Paquistão mata líder de ataque a escola e 39 terroristas

Os presos executados foram identificados como Molvi Abdus Salam, Hazrat Ali, Mujeeb ur Rehman e Sabeel. Mais três homens estão detidos – dois foram condenados à morte e um à prisão perpétua.

No ataque, o mais violento da história do Paquistão, um grupo de seis insurgentes vestidos com uniformes do Exército invadiu a escola e abriu fogo contra os presentes. As forças de segurança anunciaram o fim do cerco cinco horas após o seu início. O principal grupo talibã paquistanês, Tehrik-e-Taliban Pakistan (TTP), assumiu a autoria dos atos terroristas, afirmando tratar-se de uma vingança pela operação militar em curso na região contra os rebeldes.

Após o ataque, o parlamento do Paquistão aprovou a criação de tribunais militares especiais para julgarem atos terroristas e restabeleceu a pena de morte, que havia sido banida em 2008, para casos desse tipo.

(Com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade