Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Papa recebe francês gravemente ferido ao defender casal gay

O estudante tem dificuldades motoras em razão de um traumatismo craniano provocado por jovens que o agrediram enquanto ele defendia um casal de homens

O papa Francisco recebeu nesta quarta-feira, em audiência privada, um estudante francês, identificado apenas como Marin, que foi seriamente ferido depois de defender um casal gay que se beijava na rua em Lyon, na França, no final de 2016.

“Um encontro incrível com um homem excepcional. Guardo um pensamento para todos vocês neste dia tão especial para mim. Estou partindo cheio de força, coragem e esperança”, escreveu o jovem sobre o encontro na página do Facebook da associação “Eu apoio Marin”, criado por seus pais e seguida por quase 200.000 pessoas.

Na noite de 11 de novembro de 2016, o estudante, então com 16 anos e cursando o 3º ano de direito e ciência política, foi em socorro de um casal homossexual que se beijava em um ponto de ônibus e que foi atacado por outro grupo de jovens.

O suposto agressor de Marin, que era menor de idade à época, aproximou-se dele por trás antes de atingi-lo na cabeça em uma praça em frente à principal estação de trem de Lyon.

Marin passou longas semanas em coma e um neurocirurgião teve que remover um quarto de sua caixa craniana para dar espaço ao enorme hematoma que se formara.

O jovem sofre agora graves sequelas neurológicas e motoras. Ele passou por várias operações e vive em um centro especializado em reabilitação na Suíça.

Desde a agressão, uma forte mobilização foi organizada em Lyon (mensagens de apoio, presentes, músicas, arrecadação de fundos, noites de caridade, eventos esportivos).

Marin, por sua vez, descreve sua longa reabilitação nas redes sociais e sua família criou uma associação, La Tête Haute, para ajudar os que sofreram traumatismo craniano.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Bandarra

    O Papa assumiu a responsabilidade do cristianismo de ter criado a homofobia?

    Curtir

  2. Absurda e ineceitável violencia!

    Curtir