Clique e assine a partir de 8,90/mês

Onda de frio na América do Sul

Por BBC - 21 jul 2010, 06h34

Já são 80 os mortos em cinco países da América do Sul por causa do inverno. Intempéries, indigência e aquecedores com defeito são as principais causas dos óbitos. Dos cinco países atingidos pela inusual onda de frio, a Argentina parece ser o que está sofrendo mais com seu rigor. O número de mortes por hipotermia chegou a 13 no domingo passado. Na atual estação de inverno, 33 pessoas morreram devido a artefatos ou instalações de calefação em mal estado.

Segundo os últimos registros, 18 pessoas morreram na Bolívia, país cuja região oriental, de clima quente subtropical, é a mais afetada pelas baixas temperaturas. Dois bebês morreram. O Brasil, um país não associado com temperaturas abaixo de zero, registrou a morte de pelo menos nove pessoas no sul, a maioria devido à falta de teto e abrigo. No estado de Santa Catarina, na fronteira com a Argentina, a temperatura chegou a quase 8 graus abaixo de zero. No Paraguai, um ancião de 80 anos morreu de hipotermia, elevando a cinco o número de óbitos no país. O Uruguai reportou dois mortos pela mesma razão.

No Chile, o frio matou duas pessoas na capital, Santiago, onde os termômetros chegaram a 2 graus abaixo de zero. No Peru, a palavra “friagem” alude a temperaturas extremas que ocorrem todos os anos – e o país andino está acostumado com isso. No entanto, nas últimas semanas morreram 105 pessoas devido a doenças respiratórias, mas não está claro quantas delas morreram por causa do frio. As casas de diversas localidades da província de Puno, no sudeste do país, foram afetas por fortes ventos. O frio de 23 graus abaixo de zero continua causando estragos entre os habitantes de pequenas cidades situadas a mais de 4 mil metros acima do nível do mar. O governo peruano enviou 250 toneladas de alimentos para as localidades mais afetadas pelo frio.

Os bolivianos se preparam para uma série de ondas de frio, que podem durar até agosto. Por ora, o ministério da Educação suspendeu as aulas por dois dias para evitar a propagação de infecções. No Paraguai, as autoridades habilitaram albergues para instalar indigentes de Assunção e municípios próximos. No Chile, o governo declarou estado de emergência na região de Aysén, a 1 600 quilômetros ao sul da capital, com temperaturas entre 10 e 15 graus abaixo de zero, com nevascas que mantém algumas cidades isoladas. Milhares de cabeças de gado e de ovinos podem morrer de inanição.

Continua após a publicidade
Publicidade