Clique e assine a partir de 9,90/mês

OMS diz que países devem ter respostas rápidas contra coronavírus

Especialista da Organização Mundial da Saúde afirma que houve “mobilização extraordinária” da China para lidar com o surto que toma conta do país

Por Da Redação - 25 fev 2020, 20h11

O chefe da missão conjunta da Organização Mundial de Saúde (OMS) com a China, Bruce Aylward, disse nesta terça-feira, 25, que os países precisam estar preparados para a chegada iminente do novo coronavírus em seus territórios e adotar respostas rápidas ao primeiro sinal de um paciente infectado. Aylward declarou, em conversa com jornalistas em Genebra, na Suíça, que o pensamento das autoridades sanitárias deve ser o seguinte: “Acho que o vírus vai aparecer amanhã. Se você não pensa assim, não estará pronto”.

O especialista afirmou que houve uma “mobilização extraordinária” da China para lidar com o surto que tomou conta do país e que já levou a 2.666 mortes e a 77.780 pessoas infectadas, segundo dados atualizados às 17 horas desta terça. “A China sabe como manter as pessoas vivas”, declarou ele.

Várias províncias da China não notificaram novos casos de infecção por vários dias consecutivos e o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que o número de diagnósticos positivos no país “diminuiu” desde 2 de fevereiro.

No entanto, a própria OMS considerou “preocupante” o aumento acentuado na quantidade de mortes e de casos confirmados de contágio fora da China, principalmente na Itália, Coreia do Sul e Irã.

Continua após a publicidade

(Com Reuters)

Publicidade