Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Número de mortos em incêndios florestais na Grécia sobe para 79

As chamas atingem a região da Ática, onde fica Atenas; mais de 2.500 casas estão completamente destruídas e outras 4.000 têm danos graves

Por Da Redação 25 jul 2018, 13h02

O número de mortos pelos incêndios devastadores que atingiram a costa nordeste de Atenas, capital da Grécia, subiu para 79, informou hoje (25) a porta-voz do Corpo de Bombeiros, Stavrula Mallidi. As chamas e fumaça provocaram ferimentos em 187 pessoas.

O prefeito da cidade portuária de Rafina, localizada a 30 quilômetros de Atenas, Evangelos Bournous, afirmou hoje à emissora de TV “Skai” que o total de vítimas pode superar a marca de 100.

Segundo Bournous, o número de pessoas dadas como desaparecidas por parentes está aproximadamente em 25, mas pode haver algumas que conseguiram retornar às suas casas sem terem ainda comunicado as autoridades.

Um total de 130 soldados do Exército e do Corpo de Bombeiros participam dos trabalhos de busca. Do total de 187 feridos, 71 permanecem hospitalizados, dez deles em estado crítico. De acordo com o centro nacional de urgências, 11 menores de idade hospitalizados devem receber alta hoje.

A cidade de Mati, onde todas as mortes ocorreram, permanecerá sem água por 15 dias e sem eletricidade por um mês.

Continua após a publicidade

Os incêndios começaram na região da Ática, onde fica Atenas, na segunda-feira (23). Os bombeiros ainda lutam para apagar as chamas nessa área, sobretudo na parte ocidental.

Na área florestal de Geraneia, no oeste, o fogo está evoluindo para as montanhas, e 228 bombeiros com 114 veículos, vários voluntários e três veículos aéreos participam da operação de combate ao fogo.

Já na área de Rafina, na parte oriental desta região, onde foi registrada a principal devastação, os incêndios também continuam, embora com menor força.

De acordo com a primeira avaliação das autoridades locais, mais de 2.500 casas nas localidades de Vutza, Nea Makri, Mati e Rafina ficaram completamente destruídas, enquanto outras 4.000 sofreram danos graves.

Um responsável da companhia elétrica local disse que cabos e postes elétricos danificados estão sendo substituídos e que o fornecimento de energia das áreas que não foram atingidas pelo fogo pode ser restabelecido ainda hoje.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês