Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Navio cargueiro se parte em dois na Nova Zelândia

Os dois pedaços do 'Rena' se afastaram entre 20 e 30 metros um do outro depois de terem sido atingidos por ondas de seis metros de altura

Por Da Redação 8 jan 2012, 11h01

Um navio cargueiro encalhado há três meses em um coral da Nova Zelândia se partiu em dois devido a uma forte tempestade, na noite deste sábado, aumentando os temores de uma contaminação petroleira, anunciaram neste domingo as autoridades marítimas.

Onde aconteceu

[googlemaps http://maps.google.com.br/maps?f=q&source=s_q&hl=pt-BR&geocode=&q=Tauranga%20Harbour,%20Bay%20Of%20Plenty,%20New%20Zealand&aq=0&sll=-37.60308,176.001952&sspn=0.377537,0.727158&vpsrc=6&g=Tauranga%20Harbour,%20Bay%20Of%20Plenty,%20New%20Zealand&ie=UTF8&hq=&hnear=Tauranga%20Harbour&ll=-37.60308,176.001952&spn=23.320208,46.538086&t=h&z=5&output=embed&w=100%&h=480%5D

O ‘Rena’ encalhou no dia 5 de outubro no coral de Astrolabe (norte), perto do porto de Tauranga.

Os dois pedaços do ‘Rena’ se afastaram entre 20 e 30 metros um do outro depois de terem sido atingidos por ondas de seis metros de altura, indicou o responsável pelas operações dos serviços marítimos do país, Alex van Wijngaarden.

Esta fonte informou que os serviços competentes foram ativados para recuperar o resto do petróleo contido no barco e reparar qualquer dano que possa afetar o meio ambiente. “Não se sabe exatamente a quantidade de petróleo que pode vazar, mas as equipes já foram mobilizadas”, indicou.

Segundo o ministro de Meio Ambiente, Nick Smith, os vazamentos de combustível não serão tão grandes como quando ocorreu o acidente com o ‘Rena’. “Na pior das hipóteses, serão dezenas de toneladas de petróleo, em vez de centenas de tolenadas que (na época) podem ter vazado”, afirmou.

Até 300 contêineres, dos 800 que permaneciam a bordo, foram lançados ao mar, e as autoridades ampliaram a zona proibida à navegação ao redor do ‘Rena’ para evitar qualquer colisão com embarcações mais leves.

O ‘Rena’ encalhou no dia 5 de outubro no coral de Astrolabe (norte).

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)