Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Naufrágio pode ter matado 80 imigrantes africanos no Iêmen

A travessia é uma tentativa de escapar dos conflitos em seus países de origem

Por Da Redação 3 jan 2011, 17h11

Oitenta imigrantes africanos, a maioria etíopes, podem ter morrido afogados depois que dois barcos naufragaram na costa sul do Iêmen, informou nesta segunda-feira o Ministério do Interior do país. O acidente foi provocado por fortes ventos e um tsunami.

Já se sabe que das 46 pessoas que estavam em um dos barcos, apenas três sobreviveram. Não se sabe, no entanto, o que aconteceu com outro barco, que levava entre 35 e 40 pessoas, todas etíopes. Entre elas, mulheres e crianças.

Anualmente, dezenas de milhares de etíopes e somalis fazem a perigosa travessia para o Iêmen na esperança de escapar da privação econômica, de perseguição e conflitos em seus países de origem.

Geralmente, os imigrantes chegam de barco ao sul do Iêmen, um dos países mais pobres do mundo, antes de seguir para a fronteira com a Arábia Saudita, rica em petróleo. Muitos costumam morrer a bordo de embarcações superlotadas e mal conservadas, enquanto outros, já enfraquecidos por longas viagens do interior até a costa, morrem nas mãos de traficantes.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade

Publicidade