Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mulher é resgatada 16 dias após desabamento em Daca

Prédio de fábricas têxteis caiu em 24 de abril, deixando mais de 1.000 mortos

Por Da Redação 10 Maio 2013, 09h59

As equipes de resgate de Bangladesh resgataram nesta sexta-feira, 16 dias após o desabamento de um prédio na região de Daca, uma sobrevivente dos escombros. O edifício, em que operavam cinco fábricas do setor têxtil, caiu em 24 de abril e matou mais de 1.000 pessoas.

“Ela foi resgatada e levada a um hospital militar”, disse o porta-voz do Exército de Bangladesh Shahinul Islam. Segundo o capitão Ibrahim Islam, apesar de estar soterrada há mais de duas semanas, a mulher, identificada como Reshma, foi capaz de pedir ajuda às equipes de resgate. “Eu estou viva, por favor me salve”, disse ela.

Leia mais:

Leia mais: Manifestantes protestam em Bangladesh após desabamento de prédio

A mulher foi encontrada entre os destroços do edifício às 16h25 locais (7h55 de Brasília) pelas equipes de resgate, resgatada e levada a um hospital uma hora depois. As equipes de resgate haviam deixado de utilizar maquinaria pesada para evitar ferir mais a sobrevivente, a quem deram água e bolachas e que apresentava estado de saúde relativamente bom. A tragédia do edifício Rana Plaza, que abrigava fábricas têxteis que produziam roupa para grandes marcas estrangeiras, causou a morte, até o momento, de 1.042 pessoas e deixou 2.437 feridas. “Em aproximadamente sete dias serão concluídos os trabalhos de retirada dos escombros, esperamos que antes da próxima sexta-feira”, disse Udín Khandaker, funcionário do Ministério do Interior bengalês que coordena uma investigação sobre o acidente. “Ainda há muitos corpos entre as ruínas. Há pessoas que desceram para os andares mais baixos para tentar sair do prédio”, disse Khandaker. Nos últimos seis meses houve quatro graves acidentes – três incêndios e um desabamento – em fábricas do ramo têxtil em Bangladesh, sendo o último deles um incêndio em um bairro de Daca que deixou sete pessoas mortas na quinta-feira. (Com agência EFE e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade