Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Morreu Socrátes, aos 57 anos, vítima de uma infecção intestinal

Por Por Anella Reta 4 dez 2011, 08h41

O ex-ídolo do futebol brasileiro, Sócrates, de 57 anos, faleceu na madrugada deste domingo devido a uma infecção intestinal, informou em um comunicado o hospital Albert Einstein de São Paulo, onde se encontrava internado.

Sócrates Brasileiro Sampaio de Sousa Vieira de Oliveira, ex-capitão da Seleção brasileira, morreu “às 04H30 em consequência de um choque séptico”, provocado por uma infecção intestinal, informou a instituição médica em um breve comunicado.

No sábado, o hospital havia informado que, depois de sofrer uma intoxicação alimentar, o estado de saúde do ex-ídolo do Corinthians de São Paulo era grave, por isso estava conectado a um respirador e era submetido a diálise.

Esta foi a terceira internação hospitalar do ex-jogador, já que, em agosto e setembro, também foi hospitalizado, e inclusive colocado em terapia intensiva depois de apresentar um delicado quadro de homorragia digestiva.

O ex-meia, médico de profissão e conhecido pelo apelido de “Doutor”, reconhece então publicamente ter tido problemas com o álcool, especialmente durante sua época de jogador, e apresentar uma cirrose hepática.

“Quem bebe diariamente é alcoólico”, afirmou Sócrates em uma entrevista à TV Globo, quando admitiu sua dependência à bebida.

Continua após a publicidade

Em uma recente entrevista ao canal SporTV, Sócrates afirmou que via o álcool como “um companheiro” e que a bebida não chegou a prejudicar seu rendimento dentro de campo.

“O uso do álcool não afetou minha carreira. Inclusive, porque nunca tive estrutura física para jogar futebol. (…) O futebol se tornou uma profissão para mim apenas aos 24 anos. (…) Era muito magro e não tive possibilidade de ter uma preparação física adequada”, assegurou.

O mítico jogador atuou ao lado de nomes como Zico e Falcão e, inclusive, foi capitão da Seleção brasileira nos Mundiais da Espanha-1982 e México-1986.

No Corinthians, onde foi um dos maiores ídolos da apaixonada torcida alvinegra, fundou a chamada ‘Democracia Corinthiana’, um movimento que surgiu na década de 1980, em plena ditadura militar, na qual todas as decisões do clube, como contratações, treinamentos e concentrações, eram tomadas através da votação de todos seu integrantes.

Neste domingo, o ‘Timão’ enfrenta seu adversário Palmeiras em uma partida decisiva pela última rodada do Campeonato Brasileiro, no qual pode coroar-se campeão pela quinta vez.

O clube divulgou no sábado uma nota assinalando que esperava “a recuperação de Sócrates, um dos maiores ídolos da história do Timão”.

Continua após a publicidade
Publicidade