Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Míssil lançado por rebeldes atinge comboio de refugiados

A informação foi confirmada pelo Exército ucraniano, mas ainda não há notícias sobre o número de vítimas. Após dias de combates, cidade de Lugansk agoniza

Por Da Redação 18 ago 2014, 08h54

Um comboio de ônibus com refugiados de Lugansk, no leste da Ucrânia, foi atingido por um míssil lançado por rebeldes nesta segunda-feira, causando um número ainda desconhecido de vítimas, disse um porta-voz dos militares ucranianos. “Os terroristas atiraram mísseis do modelo Grad contra um comboio de refugiados de Lugansk perto das áreas de Khryashchuvatye e Novosvitlivka. Estamos esperando mais informações para saber quantos morreram e a gravidade do ataque”, disse Andrei Lisenko, porta-voz da operação militar no leste. “Muitas pessoas foram mortas, incluindo mulheres e crianças”, disse Lisenko.

A autoproclamada República Popular de Donetsk, em comunicado, afirmou que não tem informações sobre o caso. Um veículo de comunicação dos rebeldes, no entanto, disse que os separatistas e forças ucranianas trocaram tiros de artilharia pesada na área em que os ônibus transitavam.

Leia também

Ucrânia avança para conter rebeldes – e Rússia envia reforços

Moscou e Kiev entram em acordo sobre entrada de comboio humanitário russo

Ucrânia inicia inspeção de ajuda humanitária enviada pela Rússia

Continua após a publicidade

Ucrânia diz que destruiu blindados russos que entraram em seu território

Lugansk, sitiada há semanas pelas forças governamentais e o cenário dos mais duros combates entre os dois lados, “está no limite da sobrevivência”, advertiu em um comunicado a Assembleia Legislativa da região. “A cidade se encontra em situação crítica há dezesseis dias. Não há fornecimento elétrico nem água, também não funcionam os telefones fixos nem os celulares”, afirmaram as autoridades municipais. Os cidadãos fazem filas para comprar produtos e alimentos de primeira necessidade nos poucos mercados e lojas que seguem abertos.

Ajuda humanitária – Também nesta segunda, a Rússia comunicou que todas as objeções ao envio de um comboio de ajuda humanitária à Ucrânia foram resolvidas, mas afirmou que não houve progresso nas conversas em Berlim em busca de um cessar-fogo entre forças do governo ucraniano e rebeldes no leste do país. Além de representantes russos e ucranianos, diplomatas alemães e franceses também participaram das conversas.

Os veículos de ajuda humanitária estão estacionados há dias na Rússia perto da fronteira com a Ucrânia. Kiev suspeita que o comboio possa ser um Cavalo de Tróia para a Rússia entregar armas aos rebeldes – acusação que Moscou classificou como absurda. O chanceler russo Sergei Lavrov descreveu a situação no leste da Ucrânia como uma “catástrofe humanitária”, e disse que é necessário um cessar-fogo uma vez que civis estão sob bombardeio diante do avanço ucraniano.

O conflito de quatro meses no leste da Ucrânia atingiu uma fase crítica, com Kiev e governos ocidentais observando com atenção se a Rússia vai utilizar soldados concentrados na fronteira para intervir em apoio aos rebeldes pró-russos, cada vez mais sitiados. Kiev também informou que só irá permitir a entrada de caminhões russos de ajuda em seu território após inspeções nos veículos.

(Com agências Reuters e EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade