Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Militantes da oposição venezuelana são mortos a tiros

Governo venezuelano confirmou as mortes e disse que investigará o caso

Dois militantes de partidos que apoiam o candidato da oposição à Presidência da Venezuela, Henrique Capriles, foram mortos a tiros neste sábado no pior ato de violência da instável eleição no país, marcada para o póximo final de semana.

O partido de Capriles, Primero Justicia, afirmou que os homens armados atiraram de uma van. Os assassinatos ocorreram durante um comício na região rural de Barinas. O governo venezuelano confirmou as mortes. O ministro do Interior, Tareck El Aissami, afirmou que as circunstâncias do ataque estão sendo investigadas.

“Essa tragédia nos dá mais força e fé para lutar por uma Venezuela onde a justiça e a não violência reinem”, afirmou o Primero Justicia, o partido de uma das vítimas.

Segundo o partido, outras duas pessoas ficaram feridas, e houve seis prisões após o ataque contra uma carreata da oposição que foi bloqueada por partidários de Chávez.

“Estou muito triste com essas más notícias”, afirmou Capriles pelo Twitter. A coalizão de oposição Unidade Democrática, que uniu os partidos de oposição do país, exigiu uma rápida investigação.

Campanha – O ditador Hugo Chávez, que busca a reeleição, e Capriles tentam angariar votos dos indecisos na eleição mais apertada em 14 anos – os principais institutos de pesquisa mostram o crescimento da candidatura de Capriles na reta final da campanha. Chávez tem afirmado estar curado de um câncer.

Capriles acusa o ditador de fazer falsas promessas ao povo. “O governo prefere construir uma refinaria na Nicarágua, ou mandar petróleo e se preocupar com os cortes de energia em Cuba, mas não se importa com os blecautes aqui em Falcón”, disse.

(Com a Reuters)