Michelle Bachelet deixará delegados da ONU na Venezuela, diz Guaidó

Alta comissária de Direitos Humanos decidiu que seus representantes acompanharão a crise humanitária no país

Por Da Redação - 21 jun 2019, 21h01

A alta comissária de Direitos Humanos das Nações Unidas, Michelle Bachelet, deixará dois delegados na Venezuela para que acompanhem a crise humanitária no país, afirmou o líder da oposição Juan Guaidó, nesta sexta-feira, 21.

“Duas pessoas de sua equipe ficaram para acompanhamento no interior do país da crise em hospitais, escolas”, disse Guaidó aos repórteres, após se reunir com Bachelet na sede da Assembleia Nacional.

Bachelet chegou na quarta-feira à Venezuela. Encontrou-se com Guaidó e com representantes do governo do presidente Nicolás Maduro, mas não deu declarações. A alta comissária, duas vezes presidente do Chile, ainda deve se reunir com Maduro e dar uma entrevista coletiva na noite desta sexta-feira, no aeroporto, antes de partir.

 

Publicidade

Depois, Bachelet teve um encontro na sede do Ministério das Relações Exteriores da Venezuela, acompanhada pelo presidente da governista Assembleia Nacional Constituinte, Diosdado Cabello, o segundo homem forte do governo. Não houve detalhes.

Uma equipe técnica de Bachelet já esteve no país em março. Mas o fato de dois dos seus delegados permanecerem no país abre a possibilidade de que, eventualmente, haja uma negociação para a instalação de um escritório permanente, de acordo com ativistas dos direitos humanos que se encontraram, na quinta-feira, com a enviada da ONU.

(Com Reuters)

Publicidade