Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

México: Obrador quer esclarecer compra de votos

O esquerdista Andrés Manuel López Obrador pediu neste sábado à autoridade eleitoral do México para decidir, antes do tribunal eleitoral, os recursos por compra de votos contra Enrique Peña Nieto, do PRI, que venceu a eleição presidencial.

A coalizão de esquerda Movimento Progressista entrou com recursos e tenta fazer com que o Instituto Federal Electoral (IFE) os aprove antes de o processo chegar ao tribunal.

O Movimento também pedirá ao oficial Partido Ação Nacional (PAN) para compartilhar provas e denunciar juntos a compra de votos e o excessivo gasto de campanha pelo Partido Revolucionário Institucional (PRI).

“Que o IFE assuma sua responsabilidade e que decida sobre os recursos” esclarecendo a suposta entrega de cartões para adquirir produtos em uma cadeia de supermercados que o PRI teria feito em troca de voto, disse em coletiva López Obrador, que perdeu a eleição presidencial do dia 1º de julho.

Este domingo, o IFE prevê declarar encerrada a contagem oficial da eleição geral depois da recontagem de votos para deputados e senadores, e aprovar o processo para o Tribunal Eleitoral do Poder Judiciário, que tem até dia 6 de setembro para declarar oficialmente Peña Nieto como presidente eleito.

Na sexta-feira, foi encerrada a contagem dos votos para presidente e o candidato do PRI foi confirmado como ganhador com 38,21%, enquanto López Obrador obteve 31,59%, seguido pela candidata do PAN, Josefina Vázquez Mota, com 25,41%.

Uma semana antes da eleição de domingo, o PAN denunciou junto ao IFE que o candidato do PRI destinou 49,09 milhões de dólares a pagamentos para os funcionários eleitorais, uma quantia que excede as quantias de campanha estabelecidas pela lei.

López Obrador disse que tem elementos suficientes para provar que o PRI comprou a eleição e que sua equipe continua acumulando provas que serão divulgadas na próxima semana em um relatório detalhado.