Clique e assine a partir de 9,90/mês

Merkel e Dilma defendem acordo entre Mercosul e UE

A chanceler alemã está no Brasil para prestigiar a estreia de seu país na Copa

Por Da Redação - 16 jun 2014, 07h51

A presidente Dilma Rousseff e a chanceler alemã, Angela Merkel, defenderam neste domingo o avanço das negociações para que um acordo de livre comércio seja alcançado entre o Mercosul e a União Europeia (UE), durante uma reunião em Brasília. Na noite de ontem, Merkel fez uma breve visita à capital antes de seguir para Salvador, onde nesta segunda-feira assistirá à primeira partida da Alemanha na Copa do Mundo, contra Portugal.

“Temos o interesse comum de que os acordos de livre comércio entre o Mercosul e a União Europeia possam ser alcançados e farei o possível para darmos um passo à frente”, disse Merkel em declarações à imprensa ao lado da presidente brasileira. “Reafirmei a determinação do Brasil e do Mercosul em avançarmos nas negociações do acordo de associação comercial com a União Europeia, que nos permitirá ampliar e diversificar as trocas comerciais”, afirmou Dilma.

Leia também

Em SP, PT defende Dilma e esquece candidatura de Padilha

Merkel, Hollande, Cameron e outros líderes elogiam reinado de Juan Carlos

Continua após a publicidade

As negociações serão retomadas após anos de paralisação. Agora, dependem de uma troca de ofertas, que está atrasada para ambas as partes. As propostas de lado a lado deveriam ter sido apresentadas, inicialmente, em dezembro do ano passado. A primeira e a quarta mulheres mais poderosas do mundo, de acordo com o ranking da revista Forbes, também falaram sobre defesa da privacidade na internet.

Merkel se disse satisfeita com a aprovação de uma resolução por iniciativa dos dois países na Assembleia-Geral da ONU, depois das denúncias surgidas no ano passado de que as comunicações das duas líderes tinham sido interceptadas por Washington. “Acredito que esta cooperação pode ser permanente”, disse Merkel a respeito.

Dilma vai se reunir na terça com o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que também assistirá nesta segunda ao primeiro jogo dos Estados Unidos na Copa, contra Gana. A presidente brasileira cancelou uma visita de Estado a Washington em outubro após as denúncias de espionagem.

Em 2013, o comércio bilateral entre Alemanha e Brasil chegou a 21,7 bilhões de dólares (48,3 bilhões de reais), fazendo dos alemães os principais sócios comerciais dos brasileiros na Europa, e deixando-os em quarto no mundo, atrás de China, Estados Unidos e Argentina.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade