Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Menor imigrante morre atropelado tentando atravessar o Eurotunel

Prefeitura de Calais informou que já são onze mortes de imigrantes desde o dia 26 de junho, quando o fluxo de pessoas disparou

Por Da Redação 24 set 2015, 08h15

Um imigrante menor de idade que tinha invadido as instalações do Eurotunel em Calais, na França, com a intenção de atravessar para a Grã-Bretanha morreu durante a madrugada desta quinta-feira ao ser atropelado por um trem, informou a prefeitura da cidade francesa. O menor tinha entre 15 e 17 anos e era “provavelmente” do Sudão ou da Eritreia, algo que ainda será determinado pela investigação.

O acidente aconteceu por volta das 2h locais da madrugada de hoje (21h de Brasília de quarta-feira) no terminal ferroviário do Eurotunel, e não no interior do túnel, detalhou um porta-voz da prefeitura, que acrescentou que o imigrante estava cruzando as vias quando foi atropelado por um trem de mercadorias. Os funcionários da empresa que administra a ferrovia chamaram os serviços de urgência, que não puderam fazer nada para salvar a vida do jovem.

Leia também

Crise migratória e mudanças climáticas marcam visita do papa à Casa Branca

UE aprova realocação de 120 mil refugiados

Venda de coletes salva-vidas para imigrar para a Europa dispara no Iraque

Continua após a publicidade

A prefeitura reconheceu que houve “tentativas e invasões” na última noite, como vem acontecendo habitualmente. No decorrer deste ano, pelo menos cinco imigrantes morreram em acidentes nas instalações do Eurotunel quando tentavam embarcar clandestinamente em um trem que os levasse à Inglaterra, do outro lado do Canal da Mancha. O porta-voz da prefeitura relatou que na região de Calais, já são onze mortes de imigrantes desde o dia 26 de junho, quando o fluxo de pessoas disparou.

Merkel – A União Europeia (UE) deu um primeiro passo com o acordo esta semana sobre a distribuição de 120.000 refugiados, mas está “muito longe” de uma solução global duradoura, afirmou nesta quinta a chanceler alemã, Angela Merkel. A distribuição de 120.000 refugiados entre países europeus decidida na terça-feira em Bruxelas foi rejeitada por vários Estados membros, com Hungria e Eslováquia à frente. Estes países também não aceitam um sistema duradouro de cotas. A Alemanha prevê que em 2015 receberá entre 800.000 e um milhão de demandantes de asilo, um recorde na Europa.

Leia mais

Saiba o tamanho do problema dos refugiados

Merkel recordou os grandes princípios defendidos pela UE, no momento em que a Hungria é criticada pelo tratamento concedido aos imigrantes que atravessam o país com o objetivo de prosseguir a viagem até a Alemanha e pela construção de cercas em suas fronteiras. O bloco é uma “comunidade de valores, direitos e responsabilidades”.

(Da redação)

Continua após a publicidade
Publicidade