Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Menino japonês deixado na floresta diz que perdoa o pai

Yamato Tanooka, de 7 anos, perdeu 2 kg e caminhou por cerca de 10 km durante os dias que passou sozinho na mata

O menino japonês de 7 anos que sobreviveu sozinho em uma floresta disse que perdoa o pai por tê-lo abandonado como castigo, descrevendo-o como “um bom pai”. Yamato Tanooka perdeu dois quilos durante os seis dias que permaneceu na mata e percorreu cerca de dez quilômetros até localizar a instalação militar na qual se refugiou. Quando foi encontrado, a criança tinha ferimentos leves e sofria de desidratação.

O pai do garoto, criticado no Japão pela dureza do castigo imposto à criança, se desculpou com o filho assim que lhe encontrou. “Eu disse para ele, ‘Papai fez você passar por um momento difícil. Sinto muito'”, contou Takayuki Tanooka em uma entrevista à rede de televisão TBS. “Então, meu filho respondeu, ‘Você é um bom pai. Eu te perdoo'”, descreveu, esforçando-se para conter as lágrimas.

A criança foi levada de helicóptero ao hospital de Hakodate, na região de Hokkaido, após ser encontrada na sexta-feira (3) e deve receber alta médica na próxima terça-feira, informou a agência japonesa Kyodo. Durante os dias que passou completamente sozinho na floresta povoada por ursos e onde a temperatura chega a até 5 graus, Yamato não comeu, mas pôde beber água porque o refúgio contava com uma torneira. Para se manter aquecido, ele dormiu entre dois colchões que estavam na cabana.

Leia mais:

Menino japonês que ficou em floresta pode sofrer maus-tratos, diz polícia

Calma e muita sorte: como um garoto de 7 anos sobreviveu sozinho em floresta no Japão

Japão: Garoto abandonado pelos pais na floresta é encontrado vivo

Os pais de Yamato podem enfrentar processo na Justiça por abuso psicológico, de acordo com a imprensa japonesa. Segundo o jornal local Sankei Shimbum, o menino admitiu que “estava errado, porque não ouvi o que meu pai estava dizendo”. Yamato tentou procurar os pais no momento em que foi abandonado, mas teria perdido o senso de direção e caminhado na direção contrária. “Eu tentei mostrar para ele que posso ser assustador quando estou realmente bravo”, explicou Takayuki ao Sankei Shimbum.

A cabana onde o garoto ficou abrigado estava a quase 5 km da estrada, mas o caminho sinuoso e as montanhas que Yamato percorreu teriam aumentado a distância para cerca de 10 km. “Considerando a força física e a mentalidade de uma criança, não imaginávamos que ele iria seguir para o topo dos morros ou para longe da estrada principal”, disse um bombeiro envolvido no caso à agência Kyoto.

(Com EFE)