Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Membros do Estado Islâmico que fugiam de Fallujah são dizimados no Iraque

Bombardeios aéreos destruíram 260 veículos de jihadistas que fugiam da cidade retomada pelos iraquianos

Mais de 150 extremistas do grupo Estado Islâmico (EI) morreram em bombardeios aéreos que destruíram 260 veículos que fugiam da cidade de Fallujah, recentemente retomada pelas forças iraquianas.

Em pleno deserto, dezenas de picapes, caminhonetes e caminhões foram destruídos quando se dirigiam às zonas que o EI ainda controla no Iraque e na vizinha Síria. Divididos em vários comboios, os veículos não conseguiram escapar dos precisos bombardeios lançados de helicópteros ou aviões, dirigidos contra combatentes que fugiam das últimas posições controladas pelo grupo jihadista em Fallujah, disse o Centro de Coordenação de Operações contra o EI.

“Nossos heróis da aviação militar destruíram mais de 200 veículos”, afirmou o porta-voz Yahya Rasool, em referência a um grande comboio formado por centenas de carros que se dirigiam ao deserto a partir do sul de Fallujah, tentando alcançar zonas que o EI ainda controla, perto da fronteira com a Síria. Rasool disse que mais de 150 combatentes morreram nos ataques, sem esclarecer como eles foram contabilizados e identificados.

Leia também:

Exército do Iraque retoma controle de região ao norte de Bagdá

Bombardeios no leste da Síria deixam mais de 80 mortos

Ao menos outros 60 veículos foram destruídos posteriormente por outros ataques aéreos no noroeste da cidade, disse o comandante do Centro de Operações de Anbar, Ismail Mahalawi, que não pôde informar o número de jihadistas mortos nos ataques. “Tratava-se de uma tentativa desesperada por parte dos terroristas”, disse Mahalawi.

As forças iraquianas recuperaram completamente o controle de Fallujah, reduto emblemático do EI a apenas 50 quilômetros de Bagdá, após uma vasta operação lançada em maio. Os jihadistas também perderam o controle de Tikrit e Ramadi. Segundo os relatórios militares, os jihadistas não tiveram outra opção a não ser fugir de Fallujah em comboios, pegando estradas totalmente descobertas, uma tentativa classificada de quase suicida.

Leia mais:

Exército do Iraque retoma controle de Fallujah das mãos do EI

Para esta última operação, as tropas iraquianas foram apoiadas pelos bombardeios realizados pelos aviões da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos.

Estrangeiros – O chefe da aviação iraquiana, em um vídeo divulgado pelo ministério da Defesa, disse que a maioria dos jihadistas mortos “eram combatentes estrangeiros que não aceitaram se render às nossas forças” em Fallujah. Os que fugiram “deixaram os cadáveres no deserto, e levaram com eles alguns feridos”, acrescentou o general Hamed al Maliki.

Não é possível determinar quantos jihadistas puderam fugir e conseguiram chegar às zonas controladas pelo Estado Islâmico.

Após sua vitória em Fallujah, as forças iraquianas se concentram agora em recuperar Mossul (norte), cidade em direção à qual avançam a partir do sul e do leste.

(Com AFP)