Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

McDonald’s fecha restaurantes na península da Crimeia

A rede de fast-food dos Estados Unidos informou que interromperá os serviços nas cidades de Simferopol, Sevastopol e Yalta por “questões de produção”

Após a anexação da península da Crimeia e as sanções do Ocidente contra autoridades russas respingarem em shows da cantora Miley Cyrus, a rede americana de fast-food McDonald’s anunciou que fechará temporariamente seus restaurantes na região. Em um comunicado divulgado nesta sexta-feira, a empresa informou que as lojas nas cidades de Simferopol, Sevastopol e Yalta terão seus serviços interrompidos por “questões de produção”. A administração do McDonald’s acrescentou que fornecerá opções de emprego para todos os funcionários crimeanos que optarem por mudar para algum município em território ucraniano.

Leia também:

Parlamento da Ucrânia aprova manobras com a Otan

Estatal russa sobe em 40% o preço do gás para a Ucrânia

Rússia poderia invadir a Ucrânia em até cinco dias, diz Otan

“Nós entendemos e respeitamos a decisão de cada funcionário. Se eles não quiserem se mudar para outra cidade da Ucrânia, nós vamos, em acordo com a lei ucraniana, oferecer opções para encerrar o vínculo do empregado com o pagamento de uma quantia indenizatória”, diz a nota emitida pela empresa, segundo o jornal The Guardian. O fechamento das lojas é mais uma consequência da crise diplomática que se instaurou na região após sua anexação à Rússia. Uma nota divulgada pelo escritório europeu da franquia afirma que a decisão foi tomada “por razões operacionais que estão fora do nosso controle”.

Heroína – Outra decisão simbólica do governo russo, mas com implicações diretas na Crimeia, diz respeito à nova legislação que a península deverá seguir. A administração do presidente Vladimir Putin revisou as leis da península e interrompeu o fornecimento de metadona utilizada por usuários de heroína para substituir a droga no processo de desintoxicação. A medida era adotada em território ucraniano para coibir o vício na região. Cerca de 800 usuários consomem diariamente a metadona que era fornecida pelo governo, mas as autoridades russas alegaram que boa parte do estoque acabava no mercado negro. A preocupação dos crimeanos é de que a falta de suporte contribua para uma escalada nos níveis de HIV que haviam sido controlados com a política pública.

Saiba mais:

As pendências na transição da Crimeia para a Rússia

Sergei Kislov, um usuário de metadona de Sevastopol que votou a favor da anexação à Rússia, disse à agência de notícias Associated Press que a nova legislação russa será prejudicial para toda a população crimeana. “Isso está acontecendo em um ritmo que parece que ocorrerá um massacre aqui. Eles estão abandonando 130 pessoas e forçando todos a se virarem de algum jeito, mesmo que isso nos leve a roubar de novo ou ir para a cadeia”, afirmou.

Nasa – As estremecidas relações entre Washington e Moscou também levaram a Nasa, agência espacial americana, a suspender praticamente toda a cooperação que mantinha com os russos em programas espaciais. A agência, no entanto, disse que continuará trabalhando em conjunto com a Roscosmos nas operações que estão em andamento na Estação Espacial Internacional. Segundo a rede CNN, a Nasa disse que tomou a decisão após a Rússia “violar a soberania ucraniana e a sua integridade territorial” com a anexação da Crimeia.